Você está aqui

MSF volta ao sul de Darfur depois da saída forçada

19/02/2009
Quatro semanas depois da retirada de uma equipe a organização pode retornar a Muhajariya, onde quase 35 mil pessoas são afetadas pela violência

Em meados de janeiro, conflitos entre dois grupos rebeldes rivais forçaram MSF a realizar a evacuação da maior parte de sua equipe médica para Nyala, a capital regional, a quase 80Km de distância.

A base de MSF foi completamente destruída por um incêndio durante os primeiros dias de fogo cruzado. Ainda assim, a clínica da organização na região permaneceu em funcionamento.

MSF começou a retomada completa dos serviços médicos. No segundo dia, o número de pacientes ambulatoriais já tinha dobrado. MSF planeja levar mais funcionários para a região e restabelecer nossas clínicas nos arredores de Labado e Um Shegeira.

O diretor de MSF no Sudão, Reshma Adatia, atualmente em Muhajariya disse que "na chegada, as novas autoridades do Governo instalado no Sudão deram as boas-vindas à retomada das nossas atividades médicas. Esperamos ter rapidamente nossos serviços no mesmo nível que tínhamos antes de ser forçados a evacuar a área".

Durante a ausência de MSF, a população que vive em Muhajariya e arredores foi diretamente afetada pela violência. As pessoas foram deixadas sem a assistência médica suficiente e necessária. Uma pequena equipe sudanesa de MSF permaneceu em Muhajariya e continou a prover serviços básicos.

Desde julho de 2004, MSF fornece assistência médica em Muhajariya e arredores. Em 2008 MSF atendeu mais de 54 mil consultas em nossos serviços hospitalares e ambulatoriais, quase 6,5 mil mulheres foram tratadas na maternidade e o parto de 300 bebês foi realizado. O programa de nutrição de MSF tratou de mais de mil crianças.