Você está aqui

MSF vacina mais de 300 mil contra o sarampo no Sudão

20/06/2013
Equipes atuam em parceria com o Ministério da Saúde local para prevenir epidemia no estado de Al-Gedaref

Uma campanha de vacinação contra o sarampo, voltada para 300 mil crianças no estado de Al-Gedaref, foi concluída no dia 26 de maio. Em parceria com o Ministério da Saúde sudanês, a organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) lançou a campanha em cinco localidades do estado, prestando suporte médico e logístico em um esforço para prevenir uma epidemia de sarampo.


Três crianças com menos de 15 anos morreram infectadas pela doença em março deste ano, 32 casos foram confirmados pelo Ministério da Saúde e mais de 200 suspeitas foram reportadas no estado de Al-Gedaref.


“Para reforçar as equipes do Ministério da Saúde, e primeira equipe de emergência de MSF chegou em cerca de 24 horas”, afirma Karina Rashidova, coordenadora geral de MSF no Sudão. “Basta um caso confirmado em laboratório para seja considerado um surto. Como o sarampo é altamente contagioso, a vacinação imediata é necessária.” MSF prestou suporte à realização de campanhas nas regiões de Galabar Ocidental e Oriental, Gala Alnahal, Basunda e Rahad. A ajuda envolveu a garantia de transporte e armazenamento apropriado das vacinas, uma vez que elas devem ser mantidas resfriadas até que sejam administradas.


Não há tratamento específico para essa doença viral, e, por isso, os médicos concentram esforços no tratamento dos sintomas e complicações associadas ao sarampo, incluindo febre alta, nariz escorrendo, tosse, infecção ocular, irritações na pele, diarreia, infecção respiratória e desnutrição. Desde março, MSF prestava suporte no tratamento de 24 pacientes internados que foram transferidos para o hospital de Al-Gedaref. Desse total, 20 foram liberados e quatro mortes foram registradas.


A vacinação continua sendo a melhor maneira de prevenir o sarampo. “Equipes móveis foram enviadas a campo para mobilizar as comunidades locais e vacinar as pessoas. Mais de mil crianças foram vacinadas diariamente”, diz Rashidova.


Deivdo ao alto risco de contágio pelo sarampo, as habitações localizadas próximas umas às outras no estado de Al-Gedaref aumentam a ameaça de infecção. A campanha de vacinação visa atender crianças entre seis meses e 15 anos, já que esse é o grupo em maior risco, porque seu sistema imunológico ainda está em desenvolvimento. Crianças com menos de cinco anos com desnutrição são altamente vulneráveis à doença.  
 
MSF atua no Sudão desde 1979. Atualmente, a organização está conduzindo atividades médicas nos estados de Darfur do Norte e Darfur Ocidental, além de Al-Gedaref e Sennar. MSF oferece cuidados de saúde básicos e especializados, além de responder à emergências, quando necessário.