Você está aqui

MSF vacina 80.000 crianças em Banalia, República Democrática do Congo (RDC)

19/11/2003
Equipes de Emergência de Médicos Sem Fronteiras enfrentam dificuldades na Província do Leste da República Democrática do Congo para vacinar 80.000 crianças contra o sarampo. A campanha de vacinação deve estar concluída dentro de uma semana.

Nas últimas duas semanas, uma equipe de Médicos Sem Fronteiras aplicou 40.000 vacinas contra o sarampo, como parte de um programa de resposta emergencial em Banalia, na Província do Leste da República Democrática do Congo. O objetivo da intervenção atual é vacinar 80.000 crianças com idades entre 6 meses e 15 anos.

“Esta é uma campanha de tamanho considerável, mesmo para os padrões congoleses,” explica Dr. Bertrand Graguez, Coordenador de Saúde do programa de MSF em Kisangani. “Embora haja sarampo o ano todo no Congo, nós nunca vacinamos mais de 20.000, porque normalmente as epidemias são localizadas. Mas em Banalia, os casos notificados se espalharam por uma área de cerca de 100 km2.”

A campanha de vacinação é organizada pela Equipe de Emergência de MSF no Congo, baseada em Kisangani e que faz parte do programa de MSF em Kisangani, responsável também pelas intervenções feitas nas áreas de saúde de Lukuto, Kisangani e Basankusu. A equipe de emergência para as ações de intervenção em Banalia é formada por 3 médicos congoleses, 1 coordenador logístico estrangeiro, 15 enfermeiros congoleses de MSF e supervisores de vacinação, além de cerca de 50 vacinadores locais (dos centros de saúde da região).

Kisangani é a base de uma sistema de vigilância epidemiológica que cobre toda a Província do Leste da RDC. Informes de rádio semanais mantêm a equipe informada de qualquer aparecimento de doenças, incluindo meningites e febre hemorrágica, assim como sarampo e cólera.

Desta vez, o alerta das autoridades de saúde veio no dia 3 de abril e, nos 18 dias seguintes, a Equipe de Emergência de MSF no Congo fez um levantamento onde se descobriram 507 casos de sarampo, incluindo 10 mortes, na área de saúde de Banalia e arredores.

Com mais de seis anos de experiência na RDC, a Equipe de Emergência de MSF no Congo é especializada em ações emergenciais desse tipo. Só em 2002, as quatro Equipes de Emergência de MSF no Congo, baseadas em Kisangani, Mbandaka, Lubumbashi e Kinshasa, realizaram 15 intervenções de emergência para combater surtos de coqueluche, cólera, sarampo e meningites.

Mesmo para as Equipe de Emergência, as condições precárias tornam a tarefa bastante complicada em Banalia. As equipes viajam, na maioria das vezes, de moto, organizando áreas centrais entre quatro ou cinco vilarejos, onde os moradores podem trazer suas crianças para vacinar. “Nós já vacinamos crianças em 85 vilarejos até agora,” explica Dr. Bertrand Draguez, “e embora a logística não seja fácil, esperamos terminar a campanha de vacinação dentro de uma semana”.