Você está aqui

MSF trata feridos de confrontos no Chade

17/04/2006
Médicos atendem mais de 100 feridos em dois hospitais na capital N´Djamena. Várias amputações duplas de membros inferiores são realizadas

MSF vem tratando, desde a semana passada, civis feridos durante a recente onda de violência no Chade, país localizado no centro da África. No Hospital Geral de Referência Nacional (HGNR, na sigla em francês), o principal do país, localizado na capital N´Djamena, mais de 60 pessoas foram operadas pelas equipes cirúrgicas de MSF.

Equipes de MSF conseguiram chegar ao HGNR na última quinta-feira de manhã, para dar apoio aos médicos locais. Formam a equipe um cirurgião, um médico, uma enfermeira e um profissional de logística. Eles também levaram equipamentos médicos essenciais, que faltavam no hospital – como líquidos de perfusão, um kit cirúrgico capaz de ser usado no tratamento de 150 pessoas, um kit médico para realização de amputações e vários outros equipamentos hospitalares.

"Fiquei chocado com a gravidade de alguns casos, como membros despedaçados e grandes ferimentos. Tivemos que realizar um número considerável de amputações duplas em membros inferiores dos feridos", disse Pierre Gielis, um cirurgião veterano de MSF.

O médico lembra que a maioria dos feridos é bem jovem. "Tratamos algumas meninas e até um bebê de três anos".

Os confrontos na capital do Chade resultaram em um grande número de vítimas, apesar de até agora o número de mortos e feridos não estar claro.

Além do HGNR, MSF dá apoio a profissionais de um outro hospital (Hospital da Liberdade). No primeiro, 64 pessoas foram tratadas. No segundo, 45 feridos receberam atendimento.

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha e o Crescente Vermelho do Chade também participam junto com MSF do resgate de feridos.

Uma segunda equipe de MSF chegou ao país na última quinta-feira à noite e uma terceira equipe está sob aviso para ser deslocada imediatamente para o Chade – em caso de necessidade.

Leia mais sobre