Você está aqui

MSF trabalha no atendimento às pessoas impactadas pelo ciclone Idai no sudeste da África

18/03/2019
Além dos profissionais, a organização planeja levar suprimentos e kits de emergência a Moçambique, Zimbábue e Malaui
MSF trabalha no atendimento às pessoas impactadas pelo ciclone Idai no sudeste da África

Foto: MSF

A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras está atuando nas áreas afetadas pela tempestade tropical Idai, na região sudeste da África. MSF está mobilizando equipes de emergência em Moçambique, Zimbábue e Malaui, países fortemente afetados pelas chuvas e ventos fortes desde a semana passada.

Em Moçambique, as equipes de MSF estão levantando as necessidades médicas de Beira, cidade mais atingida pelo ciclone no país. A organização tem como objetivo principal garantir a volta das atividades médicas na região, que teve 90% do território impactado pelos ventos e inundações.

Os estragos causados pela tempestade ocasionaram a paralisação total das atividades de MSF na região de Beira, no principal hospital da cidade e em centros de saúde. Com cerca de 500 mil habitantes, Beira é a segunda cidade mais importante de Moçambique, atrás apenas da capital, Maputo.

No Zimbábue, equipes de MSF estão a 20 km de Chimanimani, um distrito de 30 mil habitantes fortemente atingido na sexta-feira pelo ciclone. Por enquanto, a maioria dos acessos à localidade estão bloqueados, e as condições também não têm permitido retirar de helicóptero feridos da região. Até o momento, as equipes de MSF conseguiram levar suprimentos médicos e apoio para água e saneamento à região próxima e Chimanimani.

No Malaui, há extensas áreas afetadas por inundações perto do rio Shire. MSF está atuando na localidade Makhanga, atualmente acessível apenas por barco ou helicóptero. A organização está fornecendo suprimentos e recursos humanos ao centro de saúde da localidade, com intensificação de ações de monitoramento de doenças e promoção de saúde. Estão previstos trabalhos para ajudar no fornecimento de água e saneamento à população afetada.


Atualização 21/03/2019 às 15h:

MSF trabalha no atendimento às pessoas impactadas pelo ciclone Idai no sudeste da África As chuvas continuam a atingir a região e há risco de que a situação se agrave, com mais alagamentos. Equipes de MSF com grande experiência em desastres naturais conseguiram chegar à cidade de Beira na quarta-feira, e mais pessoas estão sendo enviadas para a região para reforçar o contingente, apesar das dificuldades extremas de acesso. O objetivo imediato é restabelecer o atendimento médico em postos de saúde que foram danificados pelo ciclone. Outra preocupação é com doenças respiratórias e com a propagação de problemas de saúde transmitidos por água contaminada.  

Uma equipe de MSF também foi enviada para a região montanhosa da província de Manicaland, no Zimbábue, perto da fronteira com Moçambique, onde inundações causaram danos graves, com estradas bloqueadas e pontes destruídas. No Maláui, as chuvas fortes começaram há duas semanas, e MSF vem atuando com clínicas móveis e equipes de água e saneamento.

Leia mais sobre

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar