Você está aqui

MSF tenta manter auxílio durante confrontos no Paquistão

07/01/2008
Desde o dia 23 de dezembro passado, fortes confrontos têm dificultado a ação humanitária nas cidades de Alizai e Sadda

Desde o dia 23 de dezembro, um confronto sectário tem ocorrido na Agência Kurram, na Província da Fronteira Nordeste do Paquistão. Morteiros foram disparados na vizinhança de dois hospitais nas cidades de Alizai e Sadda, onde Médicos Sem Fronteiras (MSF) oferece assistência.

A cidade de Alizai foi cercada e bloqueada por guerrilhas. Cinco morteiros atingiram as cercanias do hospital de MSF no dia 25 de dezembro. No dia seguinte, outros três morteiros atingiram a unidade, danificando as estruturas e a ambulância de MSF. Apenas alguns feridos conseguiram chegar até o hospital para receber tratamento. MSF oferece atendimento para traumas e materiais médicos, mas teve de reduzir sua presença de seus trabalhadores devido à insegurança. Os confrontos continuam diariamente.

No dia 30 de dezembro, um morteiro atingiu o segundo hospital da cidade de Sadda, danificando a mesquita da unidade. Mais de cem feridos foram levados para a emergência. Equipes de MSF ofereceram apoio e material médico. MSF continua a oferecer material básico de saúde, apesar de ter reduzido sua equipe para o menor número de pessoas possível.

Os prédios na cidade de Sadda são submetidos diariamente a golpe de morteiros e outras armas pesadas desde o dia 23 de dezembro. As pessoas que fugiram dos confrontos estão procurando abrigo em Sadda, mas estão novamente na mira do fogo. MSF está tentando conseguir suprimentos adicionais, incluindo comida e cobertores para os mais afetados pelo conflito.

Essa é a segunda vez no ano que confrontos sectários resultaram em insegurança e danos em longo prazo. Uma área tribal isolada na fronteira com o Afeganistão, civis de muitas partes da Agência Kurram – agora enfrentando os meses mais frios do ano – deparam-se com a falta de comida e combustível.

A violência sectária entre os grupos que apóiam os sunitas e o xiitas teve início em novembro. Uma Jigar – negociações de paz local – está sendo realizada para tentar resolver o problema. Armas pesadas e outras pequenas ainda são regularmente ouvidas nas cidades de Alizai e Sadda e em suas redondezas.

MSF está trabalhando no Paquistão desde 2000 e atualmente mantém atividades médicas na Província da Fronteira Nordeste e no Baluquistão. É a única organização médica internacional presente em Sadda e Alizai.

Leia mais sobre