Você está aqui

MSF realiza intervenção nutricional na Etiópia

28/05/2008
Medida foi tomada depois que levantamentos indicaram níveis alarmantes da doença entre as crianças com menos de cinco anos da região sul de Oromiya

Há duas semanas, a organização médica humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) lançou uma intervenção nutricional em algumas áreas da região sul de Oromiya, na Etiópia. A decisão foi tomada depois que levantamentos mostraram níveis alarmantes de desnutrição entre as crianças com menos de cinco anos de idade.

MSF implementou três clínicas com departamento de internação – também chamados de centros de estabilização – para as crianças severamente desnutridas que também apresentam complicações médicas, como pneumonia ou anemia e precisam de cuidados médicos intensivos. Os centros estão localizados nas cidades de Ropi, Senbete Shinquille e Shashemene nos distritos de Siraro e Shashemene. Até esta terça-feira, MSF tratava 435 crianças neste três centros.

Em Ropi, MSF está cuidando de 150 crianças que antes estavam sob os cuidados dos missionários. Muitas delas sofrem de kwashiorkor – um tipo de edema provocado pela desnutrição grave, que é caracterizada pela retenção de líquidos nas pernas e pés e pode chegar até a cabeça se a situação da criança é ruim. Atualmente, MSF está tratando cerca de 175 crianças no centro de estabilização de Ropi.

Em Shashemene, MSF implementou outro centro de estabilização em uma estrutura que já existia perto do hospital da cidade, onde um crescente número de crianças havia sido internadas nos dias anteriores. MSF está cuidando de 135 pacientes do hospital, com mais pessoas chegando a cada dia.

Somente no dia 26, 70 novos casos foram admitidos. Até o dia 27 deste mês, havia cerca de 200 crianças sendo tratadas no centro de estabilização de Shashemene. MSF também abriu um novo centro estabilização em Senbete Shinquille. Cerca de 60 pacientes foram internados no primeiro dia.

Para tratar as crianças que sofrem de desnutrição, mas não apresentam complicações, MSF também está apoiando diversas clínicas de programas terapêuticos sem precisar de internação (OTPs na sigla em Inglês) em centros de saúde que já existiam em Fajigole, Aje, Toga, Ropi e Senbete Shinquille. As equipes médicas de MSF estão visitando essas estruturas e outros centros ambulatórios para avaliar a situação das crianças desnutridas.

Casos complicados são transferidos para os centros de estabilização, enquanto os mais simples são tratados de forma ambulatorial, com alimentos terapêuticos ricos em nutrientes.

No momento, MSF está tratando 125 crianças no OTP em Ropi e outras 150 no OTP em Senbete Shinquille. Equipes médicas também começaram a realizar atividades ao ar livre nas áreas próximas e MSF espera receber mais crianças nos próximos dias.

Essas atividades somam-se a projetos regulares de MSF com um componente nutricional na região Somali da Etiópia: em Degahbur, Cherrati, Warder e Fiq. Alguns desses programas registraram um grande aumento no número de crianças com desnutrição durante o mês passado. Em Degahbur, por exemplo, MSF agora está tratando 600 crianças com desnutrição, 20% das quais com casos graves do mal.

Uma vez que a próxima colheita só deve ocorrer entre agosto e setembro, MSF continua preparada para responder a uma necessidade ainda maior se for necessário e vai manter a vigilância alimentar na área.

Leia mais sobre