Você está aqui

MSF realiza campanha de vacinação em massa contra o sarampo para 550 mil crianças na RDC

13/03/2006
85% das crianças que vivem nas áreas afetadas pelo sarampo deverão ser vacinadas pela equipe de MSF composta por 10 profissionais estrangeiros e 500 congoleses. Além da vacinação, MSF vai oferecer tratamento gratuito às crianças afetadas pela doença

A organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) está realizando uma campanha de vacinação contra o sarampo em Mbuji Mayi (província de Kasai Oriental), a segunda maior cidade da República Democrática do Congo (RDC). Em apenas algumas semanas, as equipes de MSF irão vacinar cerca de 550 mil crianças com menos de cinco anos de idade.

Em janeiro, um surto de sarampo foi identificado em Mbuji Mayi, onde vivem cerca de 2,5 milhões de pessoas. Desde o início do ano mais de mil casos foram notificados.

Após receber informações das primeiras missões exploratórias e autorização das autoridades congolesas, MSF começou a formar sua equipe, composta por 10 profissionais internacionais e 500 congoleses, para planejar e realizar a campanha de vacinação.

A cidade é dividida em 10 zonas de saúde, onde 102 áreas de vacinação foram identificadas. MSF está trabalhando em cooperação com o Ministério da Saúde da República Democrática do Congo. Além da vacinação, tratamento gratuito será oferecido às crianças já afetadas pela doença.

O objetivo é vacinar pelo menos 85% das crianças que vivem em locais afetados pelo sarampo. Num contexto precário como a RDC e em lugares onde o surto de sarampo é endêmico é essencial que se aumente a cobertura vacinal.

"Num país devastado por uma catástrofe humanitária crônica é muito difícil realizar uma campanha de vacinação em massa para 550 mil crianças com idade entre seis meses e cinco anos", disse David Goetghebuer, coordenador geral de MSF na RDC.

"Estamos falando em vacinar uma população-alvo maior do que toda população menor de cinco anos de um país como a Suécia (415.000) ou a Suíça (365.000) mas com uma infra-estrutura bastante pobre. Em Mbuji Mayi, o transporte por carro é muito difícil e para chegarmos à maioria das áreas de vacinação usaremos motocicletas. Nossa estratégia é atingir dois objetivos simultaneamente: realizar a campanha de vacinação e garantir tratamento gratuito e completo para todas as crianças já infectadas. Esses dois passos são essenciais para o controle dos índices de mortalidade e para que o surto não se espalhe".

Em todo o mundo, o sarampo mata cerca de 450 mil pessoas por ano (uma média de 1.200 mortes por dia) e a maioria delas é criança. O sarampo é uma das doenças contagiosas mais conhecidas e quase todas as crianças não imunizadas contraem a doença caso fiquem expostas ao vírus.

No início de 2006, MSF já havia vacinado 120 mil crianças contra o sarampo na província Bas-Congo da RDC. No final de 2004, na província Equateur, MSF realizou uma campanha de vacinação para mais de 600 mil crianças com menos de 15 anos de idade. A campanha levou mais de um ano para ser finalizada, porque em muitos vilarejos só podia chegar por rio, em canoas.