Você está aqui

MSF promove debate no CCBB para discutir acesso a medicamentos para a aids

10/11/2003
Debate irá acontecer após exibição do filme "É a Minha Vida" que conta a história do ativista de aids sul-africano, Zackie Achmat, que se recusou a tomar os anti-retrovirais até que eles estivessem disponíveis a todos os afetados pela epidemia no país.

A organização internacional de ajuda humanitária na área de saúde, Médicos Sem Fronteiras, promove na próxima quinta-feira, 13 de novembro, às 19:15, o debate “Medicamentos não deveriam ser um luxo”. O debate será realizado no CCBB – Centro Cultural Banco do Brasil –, no Rio de Janeiro, logo após a exibição do filme “É a Minha Vida” sobre a luta do ativista sul-africano, Zackie Achmat, pela gratuidade do tratamento com anti-retrovirais no seu país. O Filme sobre a vida de Zackie faz parte da mostra de cinema africano que acontece entre os dias 4 e 16 de novembro no CCBB, como parte da exposição ARTE DA ÁFRICA, em cartaz no Centro Cultural. O Filme será exibido às 18 horas do dia 13 de novembro.

Durante o debate serão apresentadas experiências de pessoas que vivem com HIV/aids e que tiveram acesso ao tratamento, será discutida a importância da cooperação entre os países em desenvolvimento e ainda o papel das patentes no acesso a medicamentos, os riscos de se restringir o acesso a medicamentos por meio de acordos regionais como a ALCA – Área de Livre Comércio das Américas - e o plano da OMS – Organização Mundial da Saúde – de colocar em tratamento até 2005, 3 milhões de portadores do HIV.

Participam do debate: Ézio Távora Santos Filho - Vice-Presidente do Grupo Pela Vidda e Mestre em Relações Internacionais, Carlos Passareli - Coordenador de projeto da ABIA (Associação Brasileira Interdisciplinar de Aids) e Michel Lotrowska - Representante no Brasil da Campanha de Acesso a Medicamentos Essenciais da ONG Médicos Sem Fronteiras.

Durante os debates as pessoas poderão participar da campanha de MSF contra a inclusão de capítulos sobre Propriedade Intelectual na ALCA que irá restringir o acesso a medicamentos mais baratos no continente americano, assinando uma petição a ser entregue no próximo dia 20 de novembro em Miami, durante a Reunião Ministerial da ALCA.

Maiores Informações:

Flávio Guilherme – 2215-8688 ou 8123-4133
Lílian – 2286-6336 ou 9136-0941