Você está aqui

MSF presta assistência a pacientes feridos em bombardeio na fronteira entre Sudão e Sudão do Sul

13/04/2012
A violência na região aumentou nas duas últimas semanas, e a organização está pronta para ampliar suas atividades

A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) está tratando pacientes feridos nos bombardeios aéreos ocorridos no dia 10 de abril em Abiemnom, no Unity State, Sudão do Sul. A violência tomou conta da região nas duas últimas semanas e a situação permanece extremamente instável.

O hospital de Agok, localizado 36 quilômetros a leste de Abiemnom, recebeu quatro pacientes feridos no dia 10 de abril – uma mulher e três crianças. Todos tinham feridas graves e necessitam de múltiplas cirurgias. O quadro deles é estável agora. As equipes de MSF em Agok também doaram medicamentos e equipamentos para apoiar o tratamento de 40 feridos no centro médico do Ministério da Saúde em Abiemnom.

“Nesta região, a população fica na linha de frente dos conflitos. As emergências estão acontecendo uma atrás da outra. Nossas equipes estão fazendo o que podem para responder às necessidades mais urgentes da população, seja comida, abrigo ou cuidados médicos. Nossa preocupação constante é oferecer assistência médica secundária integral e atividades médicas essenciais, para todas as comunidades da região”, diz Emmanuel Roussier, coordenador dos projetos de MSF em Juba.

Desde os confrontos ocorridos nos arredores de Abyei, em março de 2011, MSF mantém clínicas móveis em toda a região, incluindo Machbong, Abathok, Mading Achueng, Akack Nyel, Leu, Marial Achak, Mabok, Rumamer e Abiemnom. Cerca de 100 mil pessoas já foram atendidas. As equipes de MSF estão monitorando a situação humanitária na região, especialmente das pessoas afetadas pela violência, incluindo as que foram deslocados de suas casas. Os pacientes que estão muito doentes ou feridos são encaminhados para o hospital de MSF em Agok.

As equipes de MSF em Agok estão preparadas para atender um fluxo ainda maior de feridos, se os conflitos continuarem. Elas também estão prontas para intensificar os atendimentos médicos e a distribuição de abrigos e outros itens para a população afetada pela violência.

Em novembro de 2011, após uma avaliação da situação de segurança alimentar e nutrição na região, MSF começou a oferecer alimentação suplementar para as crianças com menos de cinco anos - cerca de 15 mil ao todo. A organização também coordenou uma campanha de vacinação em massa contra sarampo.

MSF está presente em Abyei, na região que está sendo contestada, desde 2006. Depois de confrontos violentos em 2008, que forçaram milhares de pessoas a fugir para o sul, MSF montou um hospital em Agok, na fronteira entre Estado de Warrap, no Sudão e Abyei. O hospital oferece uma ampla gama de serviços para pacientes internados e atendimentos ambulatoriais. O hospital conta com uma sala de cirurgia, uma maternidade, uma unidade pediátrica, uma enfermaria de tuberculose e um centro de nutrição terapêutica para crianças desnutridas. Em 2011, foram realizadas 31.187 consultas ambulatoriais e 2.418 pacientes foram internados.

Leia mais sobre