Você está aqui

MSF planeja regressar à Somália em abril

20/02/2017
Há três anos, violência extrema no país e ataques direcionados forçaram a retirada de equipes da organização
MSF planeja regressar à Somália em abril

Foto: Peter Casaer

Profissionais internacionais e somalis da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) planejam dar início à oferta de apoio ao hospital regional de Mudug, no norte de Galkayo, na região de Puntlândia, na Somália. O suporte se estenderá à emergência, ao departamento de internação, à pediatria e ao centro de nutrição terapêutica.

Desde a retirada de suas equipes do país, MSF monitorou continuamente a situação na Somália para assegurar que suas equipes pudessem voltar a atuar de forma segura, e que seus pacientes e instalações de saúde fossem respeitados e protegidos de ataques violentos.

MSF começou a atuar na Somália em 1991, mas se retirou do país em agosto de 2013 após uma série de ataques extremos contra seus profissionais. Naquela época, MSF fez um apelo às autoridades, aos líderes comunitários e a outros grupos atuantes na sociedade somali para que usassem sua influência e promovessem a oferta de assistência humanitária à população local e respeitassem a segurança de profissionais humanitários que arriscam suas vidas para atendê-los. Hoje, MSF reitera a necessidade de respeito e apoio à sua missão médica na Somália.

Por essas razões, o regresso de MSF à Somália estará sujeito a uma abordagem cuidadosa. Os programas médicos e humanitários de MSF planejados em Puntlândia serão de escala limitada, por enquanto. A presença de MSF na Somália, o alcance de seus programas e a potencial expansão de suas atividades para outras regiões do país dependerá da aceitação, da facilitação e do apoio ativo recebido das autoridades e comunidades que MSF atende.

Para ler o último relatório das atividades de MSF na Somália, clique aqui.

Leia mais sobre