Você está aqui

MSF oferece apoio a desalojados na Geórgia e na região

12/08/2008
Crescem as preocupações em relação aos tratamentos de tuberculose interrompidos

Após a eclosão da violência na província separatista da Ossétia do Sul e dos ataques subseqüentes do exército russo no território georgiano, Médicos Sem Fronteiras está atuando para melhorar a situação de milhares de pessoas que fugiram do conflito e também está alerta para a possível interrupção do tratamento para tuberculose resistente a drogas em programas na Geórgia e em Abkházia.


Avaliando a situação dos refugiados no norte da fronteira russa

Duas equipes de avaliação de MSF chegaram à região da Ossétia do Norte no fim de semana, onde o fluxo principal de pessoas fugindo da violência da Ossétia do Sul era esperado. Mesmo que os números sejam difíceis de determinar, existem claramente muitas pessoas escapando da zona de conflito, em direção principalmente à província russa da Ossétia do Norte, mas também a outras regiões dentro da Geórgia.

Equipes de MSF estão determinando as necessidades dos desabrigados e estão prontas para oferecer pessoal de apoio, assim como kits médicos e outros artigos de emergência. Até agora, as necessidades de pessoas que buscavam refúgio na Ossétia do Norte parecem estar sendo supridas pelas autoridades de saúde russas e a organização de emergência Emercom. MSF tentará também conseguir chegar à Ossétia do Sul, que tem estado inacessível até agora.

MSF também está presente na Geórgia e em Abkházia, proporcioando cuidados médicos para pacientes afetados por tuberculose resistente a drogas. As equipes estão se preparando para oferecer apoio a hospitais na Geórgia e estimar as necessidades da população que foi desalojada pelo conflito.

Apoio aos hospitais georgianos e estimativas iniciais

A equipe de MSF em Tbilisi, capital da Geórgia, apoiará um número considerável de hospitais no país, providenciando medicamentos para pacientes feridos ou que tenham sofrido queimaduras, em colaboração com as autoridades de saúde georgianas. Os hospitais de várias regiões do território acolheram aproximadamente 1,2 mil pacientes que sofreram ferimentos e estão sendo tratados por médicos georgianos.

Outras avaliações serão transmitidas ainda hoje nos campos para pessoas desalojadas localizados ao redor de Tbilisi. Existem três campos na cidade e cinco ao seu redor, cada um com algumas centenas de desabrigados.

Preocupações ligadas ao oferecimento de programas tuberculose resistente

O tratamento em andamento de pacientes que sofrem de tuberculose multi drogas resistente (MDR-TB, na sigla em inglês) é uma das principais preocupações de MSF. Suspender o programa de tuberculose por até mesmo alguns dias pode ter conseqüências terríveis para a saúde do paciente.
Sendo essa a situação, os dois programas de MDR-TB de MSF vão continuar. Em Soukhoumi (Abkházia), nossa equipe ainda está oferecendo tratamento para 80 pacientes no hospital e nas sete clínicas móveis. Em Zougdidi (na Geórgia), onde quase 120 pessoas estão em tratamento, a equipe internacional de MSF foi evacuada da cidade, enquanto as equipes locais continuam presentes nas estruturas de saúde para oferecer cuidados. Mesmo com a presença deles, três pacientes já deixaram o hospital, o que provavelmente terá uma conseqüência negativa em seus tratamentos. Como tuberculose é uma doença contagiosa, a partida desses pacientes pode ainda provocar um sério risco de saúde para aqueles com quem eles tiverem contato.

Ambas as equipes de MSF em Soukhoumi e Zougdidi têm duas semanas de suprimentos médicos para MDR-TB. Dentro desse período de tempo, no entanto, um das moléculas da droga (PAS) acabará, o que afetará negativamente a continuidade do tratamento dos pacientes.