Você está aqui

MSF lança hoje abaixo-assinado on-line da campanha Todos contra a Tuberculose

10/11/2017
Petição que será entregue a ministros da Saúde pode ser assinada on-line
MSF lança hoje abaixo-assinado on-line da campanha Todos contra a Tuberculose

Foto: Alexis Huguet/MSF

 

Assine a petição on-line em https://msf.good.do/pt-br/stepupfortb

A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) lança hoje no Brasil a campanha mundial “Todos contra a Tuberculose”. Performance no Largo da Carioca, no Centro do Rio, às 17h, marca início da campanha.

Entre os objetivos da campanha está a mobilização do público brasileiro para a assinatura de uma petição on-line que será entregue aos participantes do primeiro encontro global de ministros da Saúde para discutir a tuberculose, que ocorrerá nos dias 16 e 17 de novembro em Moscou.

O abaixo-assinado pede que os países intensifiquem seus esforços para prevenir, diagnosticar e tratar a tuberculose, doença infecciosa que mais mata no mundo, com 1,7 milhão de mortes em 2016. A petição está disponível em https://msf.good.do/pt-br/stepupfortb/stepupforTB/

“O relógio está correndo rápido, porque a cada 18 segundos uma pessoa morre de tuberculose. Temos que mudar isso”, diz Felipe Carvalho, coordenador no Brasil da Campanha de Acesso a Medicamentos de MSF.

No Rio de Janeiro, o início da campanha será marcado por uma intervenção artística no Largo da Carioca, hoje, às 17h.  O projeto Referencia em Artes, idealizado pelas bailarinas Renata Versiani e Fernanda Cavalcanti, faz a direção artística da performance, que terá a participação de mais de cem voluntários e bailarinos, além da parceria do contrabaixista Facundo Estefanell e do artista Marcelo Ment, que vai grafitar um muro inspirado no tema.

O Brasil está entre os 30 países com maior carga de tuberculose no mundo. A média nacional é de 32,4 casos por 100 mil habitantes, segundo dados do Ministério da Saúde, contra a incidência de 5 casos por 100 mil considerada padrão pela Organização Mundial da Saúde. A média no estado do Rio, de 61,2 casos por 100 mil, é maior do que a nacional, com alta incidência da tuberculose resistente a medicamentos.

Além de Felipe Carvalho, estarão no ato no Largo da Carioca Carlos Basilia, coordenador do Observatório Tuberculose Brasil da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz; Roberto Pereira, do Fórum de ONGs de Tuberculose do Rio; e o médico infectologista Rafael Sacramento, que já trabalhou em projetos de tratamento da tuberculose de MSF e atualmente trabalha no sistema prisional de Pernambuco.