Você está aqui

MSF lança aplicativo para que público possa ajudar a enviar cuidados médicos para os mais vulneráveis

02/08/2016
O aplicativo MapSwipe permite que pessoas no mundo todo localizem comunidades em regiões remotas afetadas por desastres naturais, surtos de doenças ou guerras
MSF lança aplicativo para que público possa ajudar a enviar cuidados médicos para os mais vulneráveis

Foto: MSF

A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) lançou um aplicativo inédito no qual pessoas do mundo inteiro podem localizar comunidades em regiões remotas afetadas por desastres naturais, surtos de doenças ou guerras.   

MSF estima que as moradias de centenas de milhões de pessoas de comunidades mais vulneráveis do mundo não estão mapeadas. Para os trabalhadores humanitários, é impossível saber exatamente onde são essas regiões e quantas pessoas estão vivendo nelas. Isso dificulta o planejamento de campanhas de vacinação em larga escala, o entendimento de como algumas doenças se espalham e a prestação de outros serviços que possam salvar vidas.

(Foto: MSF)No MapSwipe¹, desenvolvido em colaboração com o projeto Missing Maps², o usuário escolhe uma região do mundo propensa a crises para ajudar, como, por exemplo, uma vila com risco de surto de cólera na República Democrática do Congo. Então, ele deve navegar por imagens de satélite da região, acionando a tela quando vir sinais de assentamentos, estradas e rios.

Essa informação é fornecida aos cartógrafos, que precisam dela para montar mapas detalhados e úteis. Atualmente, eles têm de passar dias percorrendo milhares de imagens de florestas e matagais inabitados procurando comunidades que precisem de mapeamento. Agora, o público pode contribuir diretamente com as atividades médicas de MSF, localizando pessoas necessitadas. Dessa forma, os cartógrafos e, por fim, profissionais da saúde no local podem ir direto ao trabalho.  

MapSwipe está disponível para download grátis nas app stores de todos que tenham smartphones da Android ou da Apple.

Algumas das primeiras áreas de crise que precisam de mapeamento são o estado de Jonglei, no Sudão do Sul, e as regiões na fronteira entre Serra Leoa, Guiné e Libéria. Todas essas regiões são seriamente afetadas por conflitos internos, guerras ou epidemias, e são o lar de milhares de civis que precisam de cirurgias de emergência e medicamentos.

Pete Masters, que trabalha no projeto Missing Maps no Reino Unido, diz: “Estamos imensamente orgulhosos de lançar nosso primeiro aplicativo para celulares. Isso permite que qualquer um com celulares ou tablets possa ajudar profissionais de saúde ao redor do mundo a oferecer assistência aos necessitados, ao mesmo tempo em que é tão divertido e viciante quanto um aplicativo de encontros. Ninguém fez algo desse tipo antes.”

(Foto: MSF)“Ainda há uma grande quantidade de lugares não mapeados pelo mundo e o olho humano ainda é o mecanismo mais poderoso para descobrirmos onde há gente vivendo. Leva meses para que os cartógrafos consigam processar todas essas imagens, mas esperamos que milhares dos membros do público queiram usar esse aplicativo e nos ajudar a mapear as populações vulneráveis mais rapidamente”, acrescenta Pete.

“São necessários somente cinco minutos para identificar cerca de 40 imagens, então encorajamos as pessoas a explorar o aplicativo enquanto esperam um ônibus ou tomam um café. Em vez de jogar um joguinho, elas podem identificar assentamentos no Sudão do Sul e ajudar a salvar vidas. O aplicativo também funciona off-line.”

O dr. Kiran Jobanputra, médico de emergências de MSF-Reino Unido, diz: “Pela minha experiência trabalhando como médico de MSF em países da República Democrática do Congo à Somália, eu sei o quanto é difícil ter um plano e realizar atividades médicas sem ter o maior número de informações possível na ponta dos dedos. É bom saber que agora o público pode ajudar meus colegas em situações semelhantes pelo mundo inteiro por meio do mapeamento dos lugares onde eles trabalham.”

Os mapas criados vão estar disponíveis para para todos, em todos os lugares, beneficiando organizações humanitárias como MSF e também as pessoas dos próprios locais.

Visite mapswipe.org

¹MapSwipe é um aplicativo para celulares desenvolvido pelo projeto Missing Maps para viabilizar uma classificação de imagens por satélite mais rápida em dispositivos móveis. MapSwipe foi criado a partir do investimento financeiro e de recursos humanos de MSF-Reino Unido e do esforço de trabalhadores humanitários e dedicados. Ele foi desenvolvido por Ivan Gayton (MSF), Pim de Witte (pimdewitte.com), Sadok Cervantes Rabadán (sadok.mx) e Alison Orellana Malouf (Escola de Design de Harvard). O Mapswipe foi criado usando estruturas e acervos de software livre, incluindo o React Native e o nodejs. Qualquer um que tenha conhecimentos da plataforma  Java pode contribuir.

²Missing Maps é um projeto de colaboração aberta criado pela Cruz Vermelha americana, pela Cruz Vermelha britânica, pela Humanitarian OSM Team (HOT) e por Médicos Sem Fronteira (MSF). Para mais informações, visite http://www.msf.org.uk/missing-maps-project

Médicos Sem Fronteira (MSF) é uma organização médico-humanitária. Nós atendemos pessoas pelo mundo nos lugares de maior necessidade, levando auxílio médico de emergência a afetados por guerras, epidemias, desastres ou exclusão do sistema de saúde.