Você está aqui

MSF implementa tratamento mais eficaz contra desnutrição

19/10/2006
Modelo de atenção nutricional ambulatória permite tratar dez vezes mais crianças que o programa tradicional, sem necessidade de internação em unidades de saúde

A organização internacional humanitária Médicos Sem Fronteiras comprovou que o uso do modelo de atenção nutricional ambulatória no combate à desnutrição é muito mais eficaz do que o método tradicional, constituindo um grande avanço médico. A aplicação desta técnica foi possível graças à utilização de alimentos terapêuticos preparados (em inglês Ready to Use Therapeutic Food ou RUTF), que em geral consistem em uma pasta à base de amendoim rica em micro e macronutrientes, cuja apresentação em doses individuais permite que sejam ingeridas diretamente, sem a necessidade de serem misturadas com água em outros recipientes. Elas também não precisam de condições especiais de conservação. Isso permite tratar as crianças com desnutrição aguda severa sem ter que hospitalizá-los.

A atenção ambulatória, associada a um acompanhamento médico menor e a um tratamento realizado em casa com garantias suficientes de higiene e segurança, permite tratar dez vezes mais crianças que os centros nutricionais tradicionais. Através desse método, MSF pôde tratar mais de 63 mil crianças desnutridas em várias regiões de Níger no ano passado.

Há alguns anos, todos os desnutridos agudos severos eram internados nos centros nutricionais terapêuticos (CNT). A base do tratamento nutricional consistia em leite terapêutico em pó e o tempo médio de internação era de 30 dias. Esse sistema apresentava alguns problemas, como maiores taxas de abandono, menor cobertura, necessidade de mais recursos humanos e maior risco de contágio de doenças associadas à desnutrição. Hoje, o uso dos RUTF permite tratar a maioria das crianças em sua própria casa e com um acompanhamento médico regular (semanal), sendo apenas alguns poucos os que precisam ser internados: os que sofrem complicações como paludismo, anemia, pneumonia, meningite, etc.

Os alimentos terapêuticos preparados, usados por MSF em grande escala no Níger em 2005, demonstraram sua eficácia no tratamento da desnutrição aguda severa. No entanto, também podem gerar uma melhor resposta à desnutrição aguda moderada. Durante 2006, MSF aplicou o método em crianças com esse tipo de desnutrição e os resultados preliminares são animadores.

A pesar das evidentes vantagens desses produtos, eles continuam sendo pouco utilizados, sendo ministrados apenas para tratar a desnutrição aguda severa. Nutriset é o fabricante do alimento terapêutico mais usado (Plumpy'nut®), mas seu preço ainda é muito alto. "Para aumentar o uso desses produtos e diminuir a catástrofe representada por milhões de mortes anuais por desnutrição na primeira infância, os alimentos terapêuticos deveriam ser considerados medicamentos essenciais", defende Jean-Clément Cabrol, diretor-adjunto de operações de MSF Espanha.

É evidente que o interesse por esse tipo de tratamento vai muito mais além do que em Níger. Em todo o mundo, a cada ano morrem 11 milhões de crianças menores de cinco anos por doenças que podem ser controladas e prevenidas em países em desenvolvimento. A Organização Mundial de Saúde (OM) calcula que mais da metade de toda a mortalidade infantil está relacionada a problemas associados à desnutrição. Sem pretender convertê-la em fórmula mágica para um problema tão complexo, e conscientes das dificuldades relativas a isso, essa estratégia deveria ser melhor conhecida e mais utilizada. Com isso, milhões de vidas poderiam ser salvas.