Você está aqui

MSF expressa tristeza com a perda de vidas durante um resgate realizado pelo navio Argos

17/06/2015
“Nossos pensamentos estão com as vítimas e seus entes queridos”, diz a presidente da organização na Bélgica

Foto: Gabriele François Casini

Na segunda-feira, 15 de junho, uma pessoa morreu durante uma operação de busca e resgate do Bourbon Argos, navio utilizado pela organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) para conduzir operações de busca e resgate no Mar Mediterrâneo. Segundo pessoas resgatadas, houve dois outros casos de afogamento, mas as mortes não puderam ser confirmadas.

O trágico acidente resultou de um surto de pânico que acometeu os passageiros quando a embarcação de borracha na qual estavam viajando começou a afundar justamente no momento em que eles estavam prestes a embarcar no Bourbon Argos. Com a continuidade do pânico, cerca de 25 pessoas caíram na água, e muitas delas não sabiam nadar. Algumas se seguraram em coletas salva-vidas e outros equipamentos, e foram resgatadas por um barco menor, enviado pelo Bourbon Argos. A tripulação do Bourbon Argos pôde visualizar um homem se afogando e desaparecendo no mar antes que sua vida pudesse ser salva. Segundo as pessoas resgatadas, outros dois homens também desapareceram na água.   

“MSF está profundamente sentida com a perda dessas vidas e nossos pensamentos estão com as vítimas e seus entes queridos”, diz Meinie Nicolai, presidente de MSF na Bélgica, que foi supervisora de enfermagem a bordo do Bourbon Argos. “Esse foi um trágico acidente, em meio a uma tragédia ainda maior que envolve centenas de milhares de pessoas que tentam fugir da pobreza, da violência e do sofrimento. Elas estão dispostas a arriscar suas vidas porque não há maneiras seguras e legais que sejam acessíveis para que consigam ter segurança e proteção na Europa. Infelizmente, a possível perda de vidas é uma realidade que qualquer equipe de busca e resgate que trabalha com pessoas em tais condições de insegurança precisa enfrentar.”

A operação de resgate foi conduzida após um chamado enviado ao Bourbon Argos pelo Centro de Coordenação de Resgate Marítimo (MRCC, na sigla em inglês), em Roma. A equipe de MSF e a equipe a bordo do Argos resgataram 106 pessoas – 104 homens e duas mulheres – da embarcação em situação de risco. Após o resgate, o Argos foi encaminhado pelo MRCC para o encontro com o MY Phoenix, navio de resgate administrado pela Migrant Offshore Aid Station (MOAS, na sigla em inglês) que conta com equipes de MSF a bordo para oferecer cuidados pós-resgate, para transferir as pessoas para a embarcação. Duas horas antes, o MY Phoenix já havia conduzido, separadamente, uma operação que resultou no resgate de 197 pessoas. Após a transferência das pessoas resgatadas pelo Argos, a embarcação seguiu rumo à Sicília, com um total de 403 pessoas a bordo.

Desde que as operações tiveram início em 9 de maio, o Bourbon Argos prestou assistência no resgate de 1.556 pessoas. Equipes de MSF também trabalham a bordo do navio MY Phoenix, um navio de busca e resgate administrado pela Migrant Offshore Aid Station (MOAS, na sigla em inglês), oferecendo cuidados pós-resgate. O MY Phoenix assistiu no resgate de 2.293 pessoas desde o início de suas operações em 2 de maio de 2015.

Na Sicília, onde a maioria das pessoas resgatadas desembarcam, MSF oferece cuidados médicos no principal centro de recepção em Pozzallo, na província de Ragusa, além de suporte psicológico em todos os centros de recepção secundários da região. Uma equipe de primeiros socorros psicológicos, composta por mediadores culturais e um psicólogo, pode ser enviada a diferentes portos de desembarque na Itália nas próximas 72 horas depois de terem recebido um alerta referente a necessidades psicológicas agudas.

Leia mais sobre