Você está aqui

MSF expande resposta à COVID-19 na Itália com atividades em lares de idosos

30/03/2020
Pessoas idosas são parte do grupo mais vulnerável às formas mais graves do novo coronavírus
MSF expande resposta à COVID-19 na Itália com atividades em lares de idosos

Foto: MSF

Médicos Sem Fronteiras (MSF) está expandindo suas atividades de resposta à COVID-19 na Itália, apoiando diversos lares de idosos na região de Marche, no leste do país, em cidades como Fabriano, Jesi, Senigallia e Ancona.

Os lares de idosos estão entre os lugares mais vulneráveis da pandemia de COVID-19. Os lares e os asilos são comunidades onde muitas pessoas vivem juntas e em contato próximo. Não há equipamentos médicos especializados, como nos hospitais, e no entanto os lares hospedam pessoas idosas, um dos grupos de risco do novo coronavírus.

“Ao combater uma epidemia, as medidas de proteção podem desempenhar um papel crucial na prevenção de novas infecções e reduzir a propagação do vírus, especialmente entre as pessoas em maior risco”, diz Tommaso Fabbri, nosso coordenador do projeto de combate à COVID-19 na região de Marche. "Os idosos estão entre os mais vulneráveis e faremos de tudo para protegê-los, trabalhando lado a lado com os profissionais dos lares e em estreita colaboração com as autoridades regionais de saúde".

A equipe de MSF, composta por médicos, enfermeiros e especialistas em saúde e higiene, todos com experiência anterior no gerenciamento de epidemias em contextos humanitários, apoiará os gerentes e funcionários dos lares e as autoridades dos municípios locais na implementação de medidas de prevenção e controle de infecções para conter o novo coronavírus. Dentro das instalações, serão identificadas rotas de fluxo de funcionários e residentes e áreas esterilização, onde possam estar desinfectados e protegidos. Essas medidas têm como objetivo impedir o  surgimento de novos casos de pessoas idosas, que, caso evoluíssem para um quadro grave, teriam de ser internadas em hospitais que já estão em risco de superlotação.

Atualmente, cerca de 30 profissionais de MSF estão engajados na resposta ao novo coronavírus na Itália, nas regiões de Marche e Lombardia, que compartilham sua experiência no gerenciamento de epidemias e surtos. MSF também se colocou à disposição de autoridades de saúde de outras regiões, incluindo as mais afetadas e aquelas em que a prevenção pode fazer a diferença. Esperamos ter autorização em breve para expandir nossas atividades para mais lugares. Outros médicos de MSF, também com experiência de campo, já estão na linha de frente do combate à COVID-19, trabalhando junto ao Serviço Nacional de Saúde em hospitais italianos.

MSF também está apoiando a resposta à COVID-19 em outros países da Europa, como Espanha, França e Bélgica, e está em contato com as autoridades de saúde da Grécia, do Afeganistão e de outros países, onde já tínhamos projetos e onde nossas equipes estão se preparando para a resposta à COVID-19.

“Agradecemos a MSF pela contribuição qualificada oferecida para apoiar nossas estruturas e esperamos que essa colaboração seja estendida pelos próximos dias. Nosso objetivo é fazer tudo da melhor forma possível para lidar com essa emergência e a experiência da equipe de MSF só tende a aumentar nosso potencial em termos operacionais", afirma Luca Ceriscioli, presidente da região de Marche.

“Essa colaboração nos deixa muito orgulhosos. A Agência Regional de Saúde, com o apoio da região de Marche, está fazendo um trabalho impressionante. Mas não poderíamos fazê-lo sem nossos profissionais de saúde, tanto os que estão na linha de frente quanto aqueles designados para apoiar serviços, como nas casas de repouso. Por esse enorme sacrifício e espírito de equipe, quero agradecer um a um. A colaboração com MSF ajudará a apoiar nosso território na luta contra a COVID-19 dentro das estruturas sócio-sanitárias, em parceria com o diretor do distrito e os clínicos gerais, que poderão receber suporte e aconselhamento de MSF. Esse modelo de gerenciamento de casos também é muito importante para reduzir o influxo para hospitais, continuando a garantir assistência quando os pacientes recebem alta", diz Nadia Storti, diretora-executiva da Agência Regional de Saúde de Marche.

 

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar