Você está aqui

MSF esclarece equívocos sobre oficinas de capacitação publicados na imprensa

01/08/2008
Desde 2006, MSF realiza capacitações para profissionais de saúde em várias municipalidades do Brasil

Médicos Sem Fronteiras (MSF) gostaria de esclarecer publicamente que, ao contrário do que foi equivocadamente informado em várias reportagens, publicadas no dia 31/07/2008, a organização jamais criou um "manual de sobrevivência" ou "cartilha contra o crime" para os profissionais de saúde que atuam no Rio de Janeiro.

MSF é uma organização humanitária neutra e imparcial que trabalha nas comunidades cariocas em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro desde meados dos anos 90. As oficinas de capacitação são apenas mais um fruto desse trabalho e não são as únicas capacitações realizadas pela organização. Médicos Sem Fronteiras promove também Oficinas de Capacitação para Profissionais que Atuam com População em Situação de Rua.

Em realidade, durante o ano de 2006, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) do Rio de Janeiro, a organização realizou as "Oficinas de Capacitação em Gestão de Risco para Equipes de Saúde da Família Atuando em Áreas de Vulnerabilidade Social". Esta proposta do treinamento surgiu a partir da solicitação de técnicos da SMS, que enfrentavam problemas ligados à segurança em suas áreas de trabalho, enquanto Médicos Sem Fronteiras atuava desde a década de 90 em várias comunidades do Rio, sem que um único incidente de segurança fosse registrado. Nosso objetivo nas Oficinas foi compartilhar nossa experiência operacional de atuação em áreas de vulnerabilidade social , adquirida ao longo de 37 anos de atuação em vários locais do mundo.

Não "criamos" manuais de sobrevivência. O que fazemos durante as Oficinas é conduzir os profissionais de saúde para que reflitam sobre a sua prática profissional nas comunidades, sendo capazes de identificar possíveis problemas e adotar medidas de prevenção que os ajudem a evitar e contornar incidentes, de forma a garantir a continuidade do seu trabalho de atenção à saúde da população. A partir das conclusões e sugestões elaboradas pelos participantes, compilamos o chamado "Manual de Segurança". O do município do Rio de Janeiro foi entregue em setembro de 2007 para a Secretaria Muncipal de Saúde.

É importante ressaltar que as nem os problemas de segurança com profissionais do PSF, nem as oficinas são exclusivamente do Rio de Janeiro, já tendo sido promovidas capacitações em outros munícipios do Estado (Duque de Caxias e Teresópolis) e também em outras capitais como por exemplo, Belo Horizonte, Aracaju e Porto Alegre.

Reafirmamos que Médicos Sem Fronteiras tem como princípios fundamentais a neutralidade, imparcialidade e a assistência de saúde às populações vulneráveis, independentemente de questões político-partidárias, religiosas, étnicas, de classe social, de situação jurídica (pessoas envolvidas ou não com transações ilícitas) ou quaisquer outra condição que não seja estritamente as condições de saúde e psicossociais.