Você está aqui

MSF e Prefeitura do Rio vacinam crianças e gestantes na comunidade de Marcílio Dias

05/11/2003
MSF vai tornar a campanha uma rotina do CAIS de Marcílio Dias para que todas as crianças e gestantes da comunidade recebam as vacinas a que têm direito. 'Me sinto mais segura para criar um filho com um posto desses do lado de casa' diz uma futura mãe.

Balões coloridos, música e muito choro marcaram a primeira campanha de vacinação de crianças e gestantes no Centro de Atenção Integral à Saúde (CAIS) de Marcílio Dias, um projeto da organização Médicos Sem Fronteiras, no complexo da Maré, Rio de Janeiro. “Tivemos uma boa resposta da comunidade, aplicamos 332 vacinas em crianças de até 12 anos e 38 vacinas em adultos, a maioria gestantes,” comemora Martha Martinez, coordenadora do CAIS. 

A campanha de vacinação contra hepatite B, tuberculose, tétano, difteria, poliomielite, além da tetravalente, a antiga tríplice viral, foi uma iniciativa da organização Médicos Sem Fronteiras e contou com o apoio da prefeitura do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria de Saúde que cedeu as vacinas e o material para a vacinação. 

“Isso para nós foi uma benção muito grande. Muitas mães deixam de vacinar seus filhos porque não tem dinheiro sequer pra pegar uma condução, pra sair daqui de Marcílio,” disse Dona Luzia Pereira após vacinar 2 netos e 2 sobrinhos, que veio ao CAIS de Marcílio Dias acompanhada da amiga Suely Granadino, avó de 6 netos. “Aqui tem muita criança necessitada e não tínhamos a quem recorrer, agora temos,” diz Suely. 

Roseli Oliveira Alves, mãe de dois filhos com Síndrome de West, que provoca retardo mental e espasmos freqüentes, nem precisou de ajuda para vacinar as crianças. “Se fosse longe de casa, eu ia precisar de 2 pessoas para me ajudar, como é aqui pertinho de casa, trouxe o mais novo primeiro e depois vim com o mais velho. E o que é melhor, nem precisei pegar condução.” 

Quem também comemorava era Daniele Mesquita que aguardava ao lado de Roseli. A jovem, de 24 anos, está grávida de 4 meses do seu primeiro filho e também recebeu as vacinas. “A gente se sente mais segura de criar um filho com um posto de saúde como este aqui pertinho de casa. Quem é mãe, sabe bem o que eu estou dizendo. (ficou meio repetitivo, não?)” conta Daniele que está fazendo o pré-natal no CAIS de Marcílio Dias, há menos de 200 metros de casa. 

Com o sucesso da campanha de vacinação, MSF já pensa em estabelecer um dia da semana para que as crianças e gestantes da comunidade coloquem em dia seus cartões de vacinação. “Percebemos que muitas crianças estavam com as vacinas atrasadas e muitas outras não puderam vir, vamos tornar esta campanha de vacinação uma rotina do CAIS. Todas as quartas-feiras iremos destinar pelo menos 2 horas para que logo, todas as crianças e gestantes estejam devidamente vacinadas,” conclui Martha Martinez.

Leia mais sobre