Você está aqui

MSF e Greenpeace levam ajuda humanitária urgente para áreas mais remotas de Sumatra

03/01/2005
As duas organizações trabalham juntas para facilitar chegada de ajuda às áreas afetadas mais remotas. Transporte de helicóptero, carros, combustível, alimento, água potável, suprimentos de saúde e das equipes de MSF será feito no navio do Greenpeace

A organização internacional de ajuda humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) e a organização Greenpeace estão trabalhando juntas para levar ajuda médica tão necessária aos sobreviventes das tisunamis que atingiram a Ásia.

O navio da Ong Greenpeace com sua tripulação de 19 pessoas irá transportar equipamentos, comida, combustível, suprimentos de saúde e os profissionais de ajuda humanitária de MSF para Aceh, no norte de Sumatra - uma área de difícil acesso para organizações humanitárias.

O navio partiu de Cingapura e chega nesta terça-feira (4 de Janeiro) no porto de Medan, onde será carregado antes de seguir para Banda Aceh, no norte de Sumatra.

"A costa noroeste de Sumatra é sem dúvida uma das áreas mais afetadas pelo terremoto e pelas tsunamis, mas é ainda uma região de difícil acesso para as organizações humanitárias”, disse David Curtis, coordenador de emergência de MSF em Jacarta.

"Para salvar vidas precisamos de uma grande operação de ajuda humanitária. Usando o navio do Greenpeace para transportar profissionais de saúde e suprimentos, esperamos chegar até as pessoas nas áreas remotas, onde não conseguiríamos chegar. Iremos usar o navio para transportar, ao longo da costa oeste, um carregamento cheio de comida, suprimentos de saúde e outros materiais tais como cabanas de plástico e redes para mosquitos. Também levaremos combustível para os helicópteros. Temos o objetivo de estabelecer uma base na cidade de Meulaboh, uma das mais afetadas".

Uma equipe de MSF – atualmente 40 pessoas – está trabalhando na cidade de Banda Aceh desde terça-feira a noite e está usando equipes móveis para levar cuidados de saúde ao longo da costa.

Segundo Ibrahim Younis, especialista em logística da equipe, “60% da cidade foram destruídos e há falta de comida e água potável em algumas áreas. Ainda há corpos nas ruas. Há uma enorme quantidade de trabalho para ser feito apenas nesta cidade, mas a situação ao longo da costa noroeste é ainda pior.

"Fizemos levantamentos, por helicóptero e por carro, e tratamos pessoas que estavam abandonadas há dias sem acesso a nada”.

O navio “Rainbow Warrior” será usado como parte de uma operação logística que inclui o transporte de helicópteros, aviões e carros.

"Queremos fazer o que for possível para oferecer ajuda humanitária e apoio médico para as áreas mais devastadas. Com isso esperamos contribuir com os esforços mundiais para o alívio desta trágica situação”, disse Gerd Leipold, Diretor Executivo do Greenpeace Internacional.

A operação de ajuda humanitária de MSF em muitos dos países afetados pelo terremoto está encontrando sérias dificuldades logísticas para levar ajuda. Aeroportos estão fechando, impedindo que os aviões que transportam suprimentos reabasteçam e posem. Em Aceh há uma falta completa de combustível e transporte. No Sri Lanka, muitas estradas estão bloqueadas, especialmente na região costeira.