Você está aqui

MSF divulga as Dez Crises Humanitárias Mais Negligenciadas pela mídia em 2007

20/12/2007
Décima edição aborda problemas na República Centro-Africana, Somália, Sri Lanka, República Democrática do Congo, Colômbia, Mianmar, Zimbábue, Chechênia, tuberculose e desnutrição infantil

Pessoas lutando para sobreviver à violência, deslocamentos forçados e doenças na República Centro-Africana, Somália, Sri Lanka e em outros lugares freqüentemente deixaram de ser notícia este ano e em boa parte da década passada, segundo indica a 10ª edição da lista anual das Dez Crises Humanitárias, divulgada nesta quinta-feira pela organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF).

A lista de 2007 também ressalta os problemas vividos pelas populações envolvidas em crises esquecidas na República Democrática do Congo (RDC), Colômbia, Mianmar, Zimbábue e Chechênia, onde a guerra continua a provocar o deslocamento de milhões de pessoas. Ela também aborda as catástrofes médicas como a crise da tuberculose (TB) e a desnutrição infantil.

“Certamente, muitos integrantes da imprensa gostariam de reportar o que ocorre em áreas de conflitos em todo o mundo", afirma Nicolas de Torrenté, diretor-executivo do escritório de MSF nos EUA. "Mas milhões de pessoas encurraladas pela guerra, forçadas a deixar suas casas e sem acesso a cuidados básicos de saúde não recebem atenção proporcional a seu sofrimento".

MSF deu início à produção da lista em 1998, quando a fome devastou o sul do Sudão, mas não recebeu nenhuma cobertura da mídia americana. Um panorama do trabalho médico de emergência de MSF, a lista tem por objetivo conscientizar a opinião pública sobre a magnitude e a gravidade dessas crises, que nem sempre se refletem na cobertura da mídia. Freqüentemente, a atenção da imprensa é crucial para gerar e melhorar as respostas a essas crises.

A desnutrição infantil é um exemplo. Aumentar a cobertura dos métodos eficazes para o tratamento de crianças desnutridas com alimentos ricos em nutrientes prontos para usar está fazendo aumentar a conscientização da necessidade de mudança na política de ajuda internacional.

A RDC e a Colômbia, ambos países devastados pela guerra civil ainda corrente e por maciços deslocamentos internos de civis, dominaram a lista na última década, cada um deles aparecendo nove vezes nela. A crise humanitária decorrente da guerra na Chechênia apareceu oito vezes. A Somália apareceu sete vezes, mais recentemente devido aos novos confrontos registrados em Mogadíscio em 2007, provocou a morte de milhares de pessoas e forçou outras centenas de milhares a deixarem seus lares, para enfrentarem doenças e condições de vida extremamente precárias.

De acordo com Andrew Tyndall, editor da revista online “The Tyndall Report" que acompanha o trabalho da imprensa, os países e contextos ressaltados por MSF na lista deste ano tiveram apenas 18 minutos de cobertura nos princípais noticiários noturnos das três maiores emissoras de televisão dos EUA de janeiro até novembro de 2007. Esses dados não incluem a cobertura da crise em Mianmar ou da tuberculose, que despertaram grande atenção da mídia, mas cujo aspecto médico-humanitário teve pouca atenção. Chechênia , Sri Lanka e República Centro-Africana – onde muitos vilarejos foram totalmente queimados durante confrontos entre as forças do governo e os rebeldes e dezenas de milhares de pessoas fugiram para lugares inóspitos em busca de segurança – nunca foram mencionados.

A cobertura da crise de TB foi de certa forma uma exceção em 2007, quando um homem de Atlanta foi diagnosticado com uma linhagem multirrestente (MDR-TB) da doença. No entanto, o crescente índice de pessoas com MDR-TB globalmente, incluindo tuberculose de resistência extensiva a medicamentos (XDR) e o alarmante índice de pessoas com HIV/Aids co-infectadas com TB receberam pouca atenção.

"Ângulos locais de histórias internacionais freqüentemente também geram coberturas", disse de Torrenté. "Infelizmente, o resultado é que o foco não é necessariamente o mais vulnerável e desesperado – mais precisamente das pessoas que merecem ter suas histórias contadas".

Saiba mais sobre as dez crises humanitárias mais esquecidas pela mídia: