Você está aqui

MSF conclui atividades de apoio no estado de Cross River, na Nigéria

06/12/2019
A região recebia refugiados do noroeste e sudoeste de Camarões
MSF conclui atividades de apoio no estado de Cross River, na Nigéria

Foto: Albert Masias/MSF

Em novembro, a equipe de Médicos Sem Fronteiras (MSF) no estado de Cross River, sudeste da Nigéria, concluiu suas atividades médico-humanitárias em apoio a refugiados das regiões noroeste e sudoeste de Camarões e comunidades nigerianas que os hospedavam. MSF trabalhou pela primeira vez em Cross River no fim de 2017 e, desde meados de 2018, oferece serviços de saúde primária, saúde sexual e reprodutiva, apoio à saúde mental, serviços de água e saneamento e promoção da saúde nas comunidades que acolhem refugiados.


Pessoas em fuga

Estima-se que 530 mil pessoas tenham sido deslocadas internamente pelo conflito nas regiões noroeste e sudoeste de Camarões; mais de 44 mil pessoas encontraram refúgio na Nigéria, predominantemente nos estados de Cross River, Benue, Taraba e Akwa-Ibom. 

A violência nas regiões noroeste e sudoeste de língua predominantemente inglesa de Camarões começou no fim de 2016, desencadeada por disputas em torno dos sistemas judicial e educacional nas duas regiões. Os combates aumentaram ainda mais em outubro de 2017, quando grupos armados não-estatais da comunidade de língua inglesa que reivindicam um estado independente foram confrontados pelas forças militares e policiais nacionais de Camarões.

Até o momento, cerca de metade dos refugiados vive em dois acampamentos formais da Agência da ONU para Refugiados (Acnur) localizados na Área do Governo Local de Ogoja no estado de Cross River e um acampamento no estado vizinho de Benue.

Enquanto as pessoas nas regiões noroeste e sudoeste de Camarões continuam enfrentando violência diária e MSF está expandindo seu apoio às comunidades vulneráveis dali, a situação humanitária em Cross River se estabilizou nos últimos meses.

“Nossas equipes veem que a população de refugiados foi muito bem integrada às comunidades anfitriãs e tem agora melhor acesso a serviços de saúde, abrigo adequado e instalações de água e saneamento em comparação com o estágio inicial da crise”, explicou Andrew Mews, coordenador-geral de MSF na Nigéria.
 

Respondendo às necessidades mais agudas

MSF iniciou sua resposta de emergência no estado de Cross River no fim de 2017, inicialmente com atividades emergenciais de água e saneamento nos vilarejos da Nigéria ao longo da fronteira. Em resposta a um aumento nas pessoas que fogem das regiões noroeste e sudoeste de Camarões, MSF expandiu seu apoio a partir de meados de 2018, mantendo clínicas móveis em 13 locais no estado de Cross River para oferecer serviços de saúde primária, serviços de saúde sexual e reprodutiva, apoio à saúde mental e promoção de saúde para os refugiados e as comunidades anfitriãs nigerianas.

As equipes médicas ofereceram 35.967 consultas ambulatoriais para infecções do trato respiratório superior, malária e doenças de pele, que são as três principais doenças. Com a malária endêmica na região, houve 4.465 casos tratados pelos médicos de MSF.

A equipe no estado de Cross River ajustou continuamente suas operações para responder ao movimento de refugiados e às necessidades mais agudas das populações refugiadas e locais. Além da atenção primária à saúde, as equipes de MSF também prestaram cuidados sexuais e reprodutivos. De abril a novembro de 2019, as obstetrizes prestaram 1.113 consultas de pré-natal, 281 consultas pós-natais, 436 consultas de planejamento familiar e apoiaram 7 sobreviventes de violência sexual e de gênero. 

Ao abordar o trauma dos refugiados devido à violência em Camarões, MSF também iniciou o apoio à saúde mental em janeiro de 2019. A equipe realizou mais de 1.200 sessões individuais de aconselhamento, além das 51 atividades psicossociais em grupo realizadas no mesmo período. 

Ao longo do projeto, a equipe de promoção da saúde de MSF sensibilizou mais de 90 mil pessoas em tópicos como malária, higiene, planejamento familiar e saúde mental.


Famílias nigerianas que recebem refugiados de Camarões

Embora existam poucas agências da ONU e organizações internacionais ativas em Cross River, as comunidades anfitriãs nigerianas em Cross River demonstraram grande solidariedade, por exemplo, acolhendo refugiados em suas casas. “Os nigerianos que vivem em vilarejos rurais que tinham muito pouco para si antes da crise em curso nas regiões noroeste e sudoeste de Camarões, carregaram o maior fardo na oferta de apoio”, disse Andrew Mews. “De maneira mais geral, a grande chegada de pessoas reduziu a capacidade das pequenas unidades de saúde nas áreas rurais de Cross River, que já sofriam de um sistema de saúde com pouco apoio e escassez de medicamentos essenciais e suprimentos médicos”.

Como parte de sua colaboração com o Ministério da Saúde de Cross River e em preparação para uma transição tranquila após o encerramento de suas atividades, MSF realizou 50 sessões de treinamento para os profissionais de saúde pública nigerianos nos centros de saúde e doou medicamentos essenciais, suprimentos médicos e móveis para apoiá-los a continuar oferecendo assistência médica após a saída de MSF.

Leia mais sobre

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar