Você está aqui

MSF avalia situação nutricional no Haiti

08/12/2008
Até agora a organização encontrou apenas bolsões de crianças desnutridas já encontrados no país antes dos desastres de cerca de três meses atrás

Depois de uma série de furacões e tempestades tropicais no fim de agosto e começo de setembro, as equipes médicas de Médicos Sem Fronteiras (MSF) têm investigado a situação nutricional através de triagens rápidas e pesquisas em três departamentos que tem tendências à desnutrição. Crianças desnutridas já foram admitidas nas instalações médicas existentes de MSF. Enquanto essas avaliações revelaram pequenos bolsões de crianças desnutridas, consistentes com os níveis de desnutrição crônica encontrados no país antes dos recentes desastres, nenhuma tem mostrado índices altos de desnutrição, o que requer uma maior escala dos programas nutricionais de MSF.

No departamento de Artibonite, as primeiras avaliações do status nutricional foram conduzidas pela equipe na região de Bas Artibonite, de Saint Marc a Dessalines, via Grandes Salines e Bocozelle, em setembro. Na época, as equipes de MSF conduziram uma triagem por meio do MUAC (um bracelete que mede a circunferência do braço) em 137 crianças enquanto atuavam em clínicas móveis. Essa triagem rápida é usada para encontrar os piores casos. No entanto, é uma ferramenta imprecisa para determinar a situação nutricional gera - é útil para fornecer indicadores preliminares do potencial de desnutrição. Nessa região, a equipe encontrou 8% de desnutrição aguda global (esse é o total de prevalência de casos severos e moderados de desnutrição) entre as crianças que passaram pela triagem. Não havia crianças severamente desnutridas no grupo.

No departamento Nord-Ouest, outra região historicamente inclinada a escassez de alimentos, uma primeira avaliação foi conduzida entre meados de setembro e o começo de outubro. A princípio, as equipes de MSF cobriramm a área de Anse Rouge até Port-de-Paix, via Bombardopolis e Jean Rabel, imediatamente depois dos furacões. Uma segunda equipe retornou depois a Port-de-Paix para conduzir uma triagem de peso e altura. O status nutricional de 1.366 crianças entre 6 e 59 meses foram avaliadas. As equipes determinaram uma taxa de 4,5 % de desnutrição aguda global e quatro casos de crianças severamente desnutridas foram tratados pela equipe de MSF.

Em novembro, uma análise nutricional mais abrangente foi conduzida na região do extremo oeste do departamento Nord-Ouest e na cidade de Port-de-Paix pela Epicentre (a seção epidemiológica de MSF baseada em Paris). Estima-se que existam mais de 35 mil crianças (com menos de cinco anos) vivendo na área pesquisada. Os resultados preliminares dessa análise mostraram taxas de desnutrição severa aguda em até 8,8%. Novamente, mesmo que os resultados não indiquem uma situação de emergência crítica, MSF continuará a monitorar a situação, conduzindo uma pesquisa de seguridade alimentícia e tratando os casos mais graves.

No departamento Sud-Est no começo de novembro, um bolsão de desnutrição aguda foi descoberto na região montanhosa de Baie d'Orange e Belle Anse, onde as autoridades haviam relatado mortes de crianças relacionadas com desnutrição. MSF rapidamente estabeleceu um centro de alimentação terapêutica onde cerca de 100 crianças diariamente passavam pela triagem. Nos primeiros dois dias de consultas, trinta crianças foram diagnosticadas como severamente desnutridas e 25 como moderadamente desnutridas. Algumas das severamente desnutridas foram consequentemente encaminhadas ou para uma clínica de MSF em Martissant, na capital Porto Príncipe, ou para outros hospitais no país. Catorze crianças severamente desnutridas foram admitidas nas clínicas de MSF em Martissant e uma crianças morreu. Três crianças ainda estão hospitalizadas em Martissant.

Mais recentemente, triagens de crianças feitas por nossas equipes mostraram bem menos casos críticos e atualmente a situação em Belle Anse e Thiotte não parece ser alarmante. Em um total de 1.495 crianças com menos de cinco anos que passaram pela triagem nas últimas semanas, 1,7% estavam em um estágio de desnutrição aguda e 5,3% estão enfrentando desnutrição aguda ou moderada. Outra avaliação foi conduzida na região de Jacmel na semana de 24 de novembro e mostrou 0,39% de desnutrição aguda e 3,1% de desnutrição aguda global.

Parece que há bolsões de desnutrição aguda mas essas condições existiam antes dos furacões e são endêmicas na região. No entanto, as equipes continuam a trabalhar pelo país inteiro para investigar o potencial de zonas de desnutrição e responderem a relatórios.