Você está aqui

MSF avalia a situação humanitária em Santa Catarina

02/12/2008
Equipe da organização vai à região mais afetada pela enchente no sul do país

A convite da Secretaria de Saúde de Santa Catarina, um grupo de três profissionais de Médicos Sem Fronteiras viajou no último fim de semana à região mais afetada pelas chuvas que causaram as enchentes no estado. O objetivo da equipe era fazer uma rápida avaliação da situação humanitária no Vale do Itajaí e Ilhota, áreas mais afetadas pelos temporais. De acordo com a Defesa Civil, quase 80 mil pessoas foram prejudicadas pelas chuvas e 116 morreram.

A equipe de MSF que foi a Santa Catarina era liderada pelo chefe-de-missão do nosso projeto no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro. Um assistente logístico e uma especialista brasileira em apoio psicossocial também compunham o time de avaliação.

Em todo o Brasil, profissionais de MSF estavam de prontidão para uma possível intervenção emergencial na área. Mas não foi preciso mobilizá-los. A equipe observou uma boa resposta das autoridades, além de bens materiais, recursos humanos e financeiros suficientes para lidar com as conseqüências dos alagamentos e deslizamentos de terra em todas as comunidades afetadas. Assim, o deslocamento de uma equipe emergencial de MSF a Santa Catarina não traria nenhum valor agregado à região.

De qualquer maneira, MSF está mantendo contato direto com as autoridades brasileiras que coordenam a emergência sanitária no estado e acompanhando o nível em que se encontram as atividades de resposta em caso de uma piora da situação.

Leia mais sobre

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar