Você está aqui

MSF aumenta esforços para tratar feridos na Faixa de Gaza

05/04/2018
Foram atendidas 102 pessoas com ferimentos à bala nos membros inferiores

Entre domingo e quarta-feira, 102 pacientes receberam cuidados pós-operatórios em clínicas de MSF após serem baleados durante os primeiros dias da “Marcha do Retorno”. MSF também está aumentando sua capacidade de oferecer cuidados de saúde, temendo que novos feridos necessitem de atendimentos nos próximos dias ou semanas.

No dia 30 de março, milhares de palestinos participaram da “Marcha do Retorno”, no “Dia da Terra”. De acordo com o Ministério da Saúde, em apenas um dia, 1.415 pessoas, principalmente jovens, foram feridas e 758 foram baleadas pelas Forças de Defesa de Israel. Todos os feridos receberam tratamento em instalações do Ministério da Saúde.

Em quatro dias, 102 pacientes baleados nos membros inferiores foram atendidos nas três instalações médicas onde Médicos Sem Fronteiras (MSF) já oferece atendimento especializado a pacientes de trauma e com queimaduras. Mais de 35% apresentam fraturas que exigem tratamento de longo prazo, provavelmente várias intervenções cirúrgicas e um longo período de reabilitação. Outros apresentam lesões nos tecidos moles, principalmente nos músculos; também é provável que precisem de cuidados cirúrgicos e várias semanas de tratamento.

“Já havíamos enfrentado um aumento preocupante no número de pessoas atingidas pelas Forças de Defesa de Israel na fronteira desde dezembro de 2017, durante as manifestações palestinas que ocorreram após o anúncio do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel", disse Marie-Elisabeth Ingres, representante de MSF na Palestina. "Subiu para 20 o número de pacientes vítimas de trauma atendidos por semana, enquanto antes de novembro de 2017, esse era o número de pacientes atendidos por mês."

MSF está pronta para abrir uma nova sala de consulta em uma instalação de saúde pública em Gaza, buscando aumentar a capacidade de atendimento pós-operatório (cuidados especializados de enfermagem e para realizar curativos). A organização está em contato com a equipe médica do Ministério da Saúde e também pode fornecer equipes cirúrgicas especializadas para apoiar os hospitais locais e garantir períodos mais longos de acompanhamento a esses pacientes.

MSF doou para o Ministério da Saúde um kit de emergência com materiais médicos descartáveis e medicamentos necessários para tratar mais de 100 pacientes feridos.
 
"Estamos preocupados que mais pessoas possam precisar de cuidados em nossas clínicas nos próximos dias à medida que mais pacientes são encaminhados", adicionou Ingres. “Também temos medo que haja mais violência e que mais pessoas sejam feridas durante a próxima manifestação marcada para sexta-feira, dia 6 de abril, e nos próximos eventos que acontecerão até o dia 15 de maio. MSF responderá à emergência atual de acordo com suas possibilidades e com as necessidades da população em Gaza.”
 

Leia mais sobre