Você está aqui

MSF apoia populações deslocadas na fronteira entre o Chade e Camarões

21/09/2021
Cerca de 30 mil deslocados internos e refugiados estão instalados em locais improvisados na região
MSF apoia populações deslocadas na fronteira entre o Chade e Camarões

Foto: MSF

No dia 10 de agosto, um confronto eclodiu entre as comunidades árabes Mouzgoum e Choa, após uma disputa por território no distrito de Logone-Birni, localizado na região Norte de Camarões. Um mês depois, as tensões parecem ter diminuído, mas os profissionais de saúde ainda estão mobilizados na região para responder às consequências dos confrontos que causaram o deslocamento de quase 30 mil pessoas. Os confrontos já deixaram mais de 15 pessoas mortas e cerca de 100 feridos. No início do conflito, os roubos e a queima de vilarejos levaram as pessoas a buscar refúgio no distrito de Kousseri, em Camarões, bem como na fronteira com o Chade. Além disso, nesse período do ano, a estação das chuvas é considerada um pico de alta transmissão de malária, doenças diarreicas e risco de cólera devido às inundações na região.

Desde o início do confronto, no vilarejo de Missika, Madiako e no distrito de Logone Birni, Médicos Sem Fronteiras Sem Fronteiras (MSF), organização médica especializada em respostas a emergências humanitárias, coordenou o envio de uma equipe com cinco profissionais de saúde (dois médicos, duas enfermeiras e um psicólogo clínico), juntamente com uma equipe de coordenação, para fornecer apoio e atendimento aos feridos e deslocados que permaneceram em Camarões após o confronto. Além disso, foram doados equipamentos (kits médicos de emergência) para 55 feridos e uma ambulância para transferir os feridos gravemente do hospital regional em Kousseri para Ndjamena-Chade. Desde o final de agosto, a presença de MSF foi reduzida, mas a organização continua envolvida na avaliação das necessidades com todos os atores mobilizados.

“Em colaboração com o Distrito Sanitário de Kousseri, MSF começou a atuar desde os primeiros dias dos confrontos entre as duas comunidades, oferecendo apoio com profissionais e cuidados médicos. Esse apoio permitiu ao hospital em Kousseri oferecer um melhor atendimento aos feridos. O apoio fornecido por MSF no encaminhamento de pacientes feridos com casos graves para Ndjaména aliviou os pacientes, familiares e profissionais do hospital em Kousseri. Esse apoio possibilitou salvar a vida de pacientes que, de outra forma, teriam dificuldade em receber atendimento adequado em Kousseri", afirma Diouf, coordenador do projeto de emergência de Kousseri.

A maioria dos deslocados foi obrigada a caminhar vários quilômetros sem ter tido tempo de levar consigo mais do que algumas peças de roupa. Os principais problemas de saúde identificados pelas equipes de MSF que visitaram a região para fornecer assistência emergencial foram malária, diarreia e desnutrição infantil. Foram realizadas 1.972 consultas em Oundouma e Gamakotoko, e 33 pessoas, incluindo feridos, mulheres grávidas e crianças gravemente desnutridas, foram encaminhadas para instalações hospitalares, como a unidade nutricional terapêutica intensiva apoiada por MSF na capital Ndjamena. Desde então, MSF passou o bastão para outros atores que estão se mobilizando para continuar a fornecer cuidados para atender às necessidades médicas de pessoas deslocadas e populações anfitriãs ao longo das margens chadianas do rio Logone.

Médicos Sem Fronteiras está presente em Camarões desde 1984. Hoje, a organização conduz projetos médicos humanitários nas regiões do Extremo Norte e Sudoeste do país. A organização também mantém discussões com as autoridades camaronesas para retomar as atividades no Noroeste do país, após retirar suas equipes devido a uma suspensão pelas autoridades em dezembro de 2020. No Extremo Norte, onde MSF trabalha desde 2012, nossas equipes apoiam o sistema de saúde camaronês para facilitar o acesso a serviços médicos, oferecendo cuidados cirúrgicos, psicológicos, obstétricos e maternos. MSF atua em cada uma dessas regiões de acordo com a avaliação das necessidades de saúde. Todos os cuidados prestados por MSF são gratuitos e realizados de acordo com a ética médica. Além disso, as equipes estão mantendo as sessões de conscientização sobre medidas de segurança contra a pandemia da COVID-19 entre as populações em locais temporários, a fim de limitar o risco de propagação da doença.

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar