Você está aqui

MSF ajuda a reconstruir instalações médicas e atender às necessidades de saúde na Venezuela

19/07/2019
Anos de crise econômica e política causam um forte impacto sobre as unidades de saúde
MSF ajuda a reconstruir instalações médicas e atender às necessidades de saúde na Venezuela

Diana Puyo/MSF

Com a hiperinflação chegando a mais de 2.000.000% neste ano, de acordo com o FMI, a situação na Venezuela foi ainda mais acentuada por um blackout de energia que afetou algumas regiões por até três meses e interrupções contínuas de água. “Isso tem um impacto sobre as famílias e unidades de saúde em dificuldades em todo o país. Hospitais e clínicas em áreas onde MSF está presente sofreram por muito tempo com falta de suprimentos e profissionais médicos, além de sistemas de água e saneamento inadequados ”, explica Tara Newell, coordenadora de apoio de emergência de MSF.

No mês passado, MSF começou a avaliar as necessidades de saúde em diferentes partes do país e iniciou a reconstrução de seções do hospital Vargas, com 302 leitos, um dos hospitais de referência na capital, Caracas. Essas obras fazem parte de uma colaboração com as autoridades sanitárias venezuelanas, que deve se expandir nos próximos dois anos, incluindo o treinamento de profissionais e o fornecimento de materiais.

MSF tem trabalhado em parceria com organizações locais e instituições públicas em Caracas desde 2018, oferecendo assistência médica e psicológica a vítimas de violência, incluindo violência sexual. De janeiro a junho de 2019, as equipes trataram 1.635 pessoas em questões de saúde mental, organizaram 327 sessões em grupo e apoiaram 100 vítimas de violência sexual.

Outra consequência preocupante do declínio do sistema de saúde da Venezuela é o aumento de doenças evitáveis, como a malária, das quais houve um aumento significativo de casos devido à falta de controle efetivo da epidemia. MSF apoia o programa nacional de malária em Sifontes, no estado de Bolívar, uma área com numerosas minas de ouro informais, onde a malária se espalhou rapidamente devido à alta mobilidade da população, às más condições em que vivem e à grave falta de recursos para o programa de controle da malária.

Desde 2018, as equipes de MSF testaram mais de 290 mil pessoas contra a malária, trataram mais de 162 mil pacientes com a doença e distribuíram mais de 76 mil mosquiteiros para evitar novas infecções. Desde fevereiro de 2019, MSF também trabalha com o Instituto da Malária em Carúpano, no estado de Sucre, no Mar do Caribe. As equipes estão atualmente trabalhando nos quatro locais com o maior número de casos, fornecendo suprimentos, facilitando a coleta de dados, implementando medidas de promoção da saúde e controle de vetores, treinando equipes médicas e apoiando a identificação, diagnóstico e tratamento de novos casos.

Em Anzoátegui, MSF trabalha em parceria com uma organização local chamada Fe y Alegría para fornecer cuidados básicos de saúde para as comunidades vulneráveis de El Vidono, perto de Barcelona, a capital do estado. O projeto aborda planejamento familiar, saúde sexual e reprodutiva, violência sexual e malária em uma escola localizada entre os municípios de Bolívar e Sotillo. Com uma população de estudantes de 1.670 de um total de 756 famílias, 3.547 consultas foram realizadas apenas nos primeiros cinco meses de 2019.

MSF está pronta para responder a outras necessidades médicas resultantes da crise econômica, política e social na Venezuela, incluindo surtos de violência. As equipes também apoiam os venezuelanos do outro lado da fronteira na Colômbia, onde milhares de pessoas fogem todos os dias devido à insegurança e à falta de comida e acesso a cuidados médicos de qualidade em casa. Em 2018, começamos a oferecer cuidados médicos e de saúde mental adicionais e serviços de água e saneamento para venezuelanos que chegam ao estado de Roraima, no Brasil. 

MSF trabalha na Venezuela desde 2015. Equipes estão atualmente na capital, Caracas, e nos estados de Bolívar, Sucre e Anzoátegui. Entre 2016 e o início de 2018, também prestamos assistência médica em Maracaibo, no noroeste do país. MSF é uma organização humanitária internacional independente. Nosso trabalho na Venezuela é financiado exclusivamente por doações privadas de indivíduos em todo o mundo.

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar