Você está aqui

MSF ajuda população deslocada na Colômbia

01/04/2009
Na região de Chocó, noroeste do país, organização oferece tratamento médico e aprimora suporte sanitário

O deslocamento começou no início de março, quando a tensão na área aumentou entre os paramilitares e o Exército de Libertação Nacional (ELN), obrigando as famílias a deixar suas vilas. A população deslocada buscou refúgio em Catru, uma pequena vila de aproximadamente 1,2 mil habitantes, que viu sua população aumentar para 2 mil pessoas devido aos recém chegados.

Lugares superlotados aumentam o risco de doença

Médicos Sem Fronteiras (MSF) tem oferecido assistência médica e apoio psicossocial para a população de Catru desde o começo de março. " A comunidade local tem mostrado grande solidariedade, recebendo a população deslocada em suas casas. No entanto, no momento, há entre duas a quatro famílias vivendo juntas em casas feitas para caber apenas uma", declara Oscar Bernal, coordenador médico de MSF na Colômbia. "Com a superlotação, existe um risco maior de que as doenças infecciosas se espalhem."

Todo dia, MSF realiza, em média, 70 consultas médicas e psicológicas. "Os principais problemas de saúde são malária, tuberculose e desnutriçao infantil", explica Bernal. A organização transfere casos complicados de gravidez, pneumonia e tuberculose extra-pulmonar para o hospital da capital da província. Pacientes enviados têm que viajar por quatro horas em barcos de MSF e continuar a jornada por terra.

MSF também está treinando promotores locais de saúde sobre como prevenir diarréia, malária e realizar reidratação oral. Além disso, foi realizada uma campanha de distribuição de remédios contra vermes para toda a população. A organização também distribuiu kits de higiene e itens alimentícios como açúcar, óleo, arroz e lentilhas, tanto para as pessoas deslocadas quanto para as famílias residentes. Para garantir que a população tenha acesso à água limpa, MSF consertou o sistema de abastecimento da vila. Foi realizado um trabalho junto a comunidade para identificar as necessidades prioritárias para a região.

O barco de MSF chega a comunidades isoladas

O Rio Dubasa é um afluente do rio Baudo, no qual MSF iniciou uma operação de clínica móvel em janeiro de 2008. A cada oito dias, uma equipe médica viaja rio acima de barco para chegar às comunidades isoladas, que vivem nas margens. Em março, durante uma visita regular, MSF identificou novas famílas deslocadas em Catru e, imediatamente, começou a atender suas necessidades.

A Colômbia tem a segunda maior população deslocada do mundo, com mais de 44 milhões de pessoas tendo saído de suas casas devido ao conflito armado. MSF trabalha em 17 das 32 regiões do país.