Você está aqui

MSF abre primeiro programa público de saúde e HIV/aids em Nairóbi, Quênia

22/10/2004
Centro de MSF levará cuidados básicos de saúde aos moradores de Kibera, uma comunidade carente com mais de 600 mil habitantes. O centro oferecerá também tratamento a pacientes de HIV/aids.

No dia 21 de outubro, em colaboração com o Ministério da Saúde do Quênia, a organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) abriu um Centro de Saúde para oferecer atenção a saúde, inclusive tratamento para o HIV/aids aos moradores da comunidade de Kibera. Localizada em Nairóbi, capital do Quênia, Kibera tem uma população de 600 mil pessoas e é uma das maiores favelas da África.

O novo centro será o primeiro a oferecer aos moradores acesso direto aos cuidados mais básicos de saúde. Além de um conjunto de serviços na área de saúde básica, o centro oferecerá também cuidados na área de HIV/aids, que incluirão consultas, atenção materno-infantil, planejamento familiar, assistência às vítimas de violência de gênero e também acesso total e gratuito ao tratamento de HIV/aids.

MSF pretende, por meio deste projeto, mostrar que um conjunto abrangente de serviços de atenção à saúde de qualidade, integrando tratamento de HIV/aids, pode ser oferecido em uma comunidade carente.

"A população nessa área densamente povoada é social e economicamente vulnerável", explica a coordenadora geral de MSF Christine Jamet. "Pessoas vivem em condições muito precárias onde saúde, saneamento e infra-estrutura são inexistentes. Doenças estão por toda parte e as maiores responsáveis por mortes nessa comunidade são as infecções relacionadas ao HIV/aids".


MSF em Kibera

MSF trabalha em Kibera desde 1997 e começou com um centro de apoio a pacientes que incluía aconselhamento e testagem voluntários e controle de infecções oportunistas para pessoas com HIV/aids. Devido à grande demanda, MSF ampliou suas atividades, e hoje dirige duas clínicas de HIV que oferecem aconselhamento e testagem, prevenção de HIV/aids e tratamento com medicamentos anti-retrovirais.

Atualmente, 650 portadores de HIV são acompanhados, dos quais 150 estão recebendo tratamento anti-retroviral. MSF tem projetos semelhantes em outras áreas de Nairóbi, tal como Busia e Homa Bay, também no Quênia.