Você está aqui

Mossul: MSF abre nova unidade cirúrgica para tratar feridos de guerra

03/04/2018
Com o sistema de saúde de Mossul severamente danificado, a unidade oferecerá cuidados médicos aos atingidos pelo conflito na região
Mossul: MSF abre nova unidade cirúrgica para tratar feridos de guerra

Foto: Sacha Myers/MSF

Médicos Sem Fronteiras (MSF) inaugura hoje uma instalação de cuidados pós-operatórios no leste de Mossul para prestar serviços a pessoas feridas pelo recente conflito durante a retomada da cidade das mãos do grupo Estado Islâmico.

A instalação está localizada no complexo hospitalar de Al'Salaam e Al'Shifaa. Além de oferecer atendimento de saúde mental, inclui um centro cirúrgico móvel; uma enfermaria com 33 leitos, onde as pessoas podem se recuperar de cirurgias; e uma unidade de reabilitação, que será mantida em parceria com a organização Handicap International.

Heman Nagarathnam, coordenador-geral de MSF no Iraque, diz que o sistema de saúde de Mossul foi severamente danificado durante o conflito e que havia uma necessidade urgente de novas instalações médicas.  

“Mossul tinha um dos melhores sistemas de saúde do Iraque, mas o conflito causou um enorme estrago na infraestrutura de saúde e nos equipamentos, assim como impactou os profissionais médicos”, afirmou.

“Havia mais de 3.500 leitos disponíveis nos hospitais de Mossul. Porém, nove hospitais foram completamente destruídos no conflito e agora há menos de mil leitos disponíveis. Consequentemente, as pessoas em Mossul lutam para ter acesso aos serviços de saúde."

“Muitos pacientes feridos pela guerra precisam de acompanhamento. Muitas vezes eles precisam passar por rápidas cirurgias nas frentes de batalha para salvar suas vidas e, depois, precisam de cirurgias adicionais, tratamento de dores e fisioterapia para recuperar o movimento de membros e músculos afetados e, assim, evitar a perda de mais ou de todos os seus movimentos.”

“As novas instalações de MSF vão realizar e oferecer gratuitamente cirurgias e cuidados pós-operatórios e de reabilitação, especialmente a pacientes feridos pela guerra. Trabalharemos em colaboração com o hospital Al'Salaam e o Diretório de Saúde Ninewa para que eles encaminhem os pacientes mais urgentes às nossas instalações. Como organização médica, também continuaremos apoiando a infraestrutura médica de Mossul.”

A instalação será mantida por uma equipe de 30 especialistas médicos internacionais e iraquianos altamente qualificados e começará a receber pacientes hoje. Os pacientes de trauma que precisam de cuidados devem ir primeiro a um hospital público em Mossul e, em seguida, se enquadrados nos critérios médicos, serão encaminhados a instalação de MSF para a realização de cirurgias e recebimento de cuidados pós-operatórios.  

Em 2017, MSF trabalhou em Mossul e seus arredores para oferecer serviços vitais a pessoas atingidas pela violência. A organização manteve vários postos de estabilização de trauma no leste de Mossul e outros quatro projetos em hospitais, oferecendo uma gama de serviços, incluindo cuidados intensivos e emergenciais, cirurgias e cuidados de saúde materna. MSF atualmente mantém um hospital no leste de Mossul e está construindo uma nova sala de emergência no hospital Al'Salaam.

MSF trabalha no Iraque desde 1991 e atualmente mantém projetos médicos em oito províncias. De julho a dezembro de 2017, MSF ofereceu 28.658 consultas emergenciais e realizou quase 2 mil cirurgias.

MSF oferece assistência médica neutra e imparcial, independentemente de raça, religião, gênero ou filiação política. A fim de garantir nossa independência, não aceitamos financiamento de nenhum governo ou agência internacional para nosso trabalho no Iraque, contando apenas com doações privadas de pessoas ao redor do mundo para realizar nosso trabalho.

 

Leia mais sobre