Você está aqui

Mianmar: MSF pede ações urgentes para salvar vidas

23/02/2012
O cancelamento da 11ª rodada de financiamento do Fundo Global afeta gravemente a expansão da oferta de tratamento contra HIV e TB no país

A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) divulgou relatório no qual enfatiza a necessidade de expansão de tratamento contra HIV/Aids e tuberculose (TB) – inclusive tuberculose multirresistente (MDR-TB, na sigla em inglês) – em Mianmar. MSF é o maior provedor de tratamento contra HIV no país, atendendo cerca de 23 mil pessoas com a doença, e vai aceitar pelo menos 6 mil novos pacientes em suas clínicas ao longo de 2012.

De acordo com o relatório, 85 mil pessoas necessitam urgentemente de tratamento antirretroviral no país, mas não têm acesso a ele. O documento aponta ainda que das 9,3 mil pessoas que contraem MDR-TB todos os anos, apenas 300 recebem tratamento.

“Mais uma vez os doadores do Fundo Global viraram as costas para as pessoas que vivem com HIV e TB em Mianmar”, disse Peter Paul de Groote, coordenador de projeto no país. “Nós de MSF nos deparamos diariamente com as trágicas consequências dessas decisões: pessoas gravemente doentes e mortes que poderiam ter sido evitadas.”

Entre 15 e 20 mil pessoas com HIV em Mianmar morrem todos os dias devido à falta de acesso a tratamento antirretroviral. A prevalência de TB no país é três vezes maior que a média global, e o país está entre as 27 nações com as maiores taxas de MDR-TB do mundo. A doença é transmitida pelo ar, da mesma maneira que a TB (não resistente a medicamentos), mas o tratamento é muito mais complexo e demorado: são necessários seis meses para tratar um paciente com TB, ao passo que um paciente que sofre de MDR-TB precisa de dois anos de tratamento, com um maior número de remédios e com efeitos colaterais mais severos. A MDR-TB, bem como a TB, afeta pessoas que até então estavam perfeitamente saudáveis.

“Se o acesso ao tratamento contra HIV e TB não for expandido, as doenças continuarão se espalhando livremente por diversas regiões do país.  A hora de tratar os pacientes é agora”, disse o Dr. Khin Nyein Chan, de MSF. “Nós temos uma oportunidade única no momento, uma vez que as taxas de prevalência do HIV estão relativamente baixas em Mianmar. É a falta de acesso ao tratamento que faz desta uma das epidemias mais graves do continente asiático.”

Mianmar, um dos países menos desenvolvidos do sudeste asiático, é uma das nações que recebem menos Ajuda Oficial ao Desenvolvimento no mundo todo. Com a reforma política do país sendo bem aceita pela comunidade internacional, existe uma grande oportunidade de tornar o acesso a tratamento contra HIV e TB em Mianmar uma prioridade para os doadores do Fundo Global.

O sistema de saúde do país sofre com falta de recursos no sistema público de saúde. “Eu quero ver o dia em que todos os pacientes de Mianmar terão acesso a tratamento. Eu quero ver as pessoas vivas graças ao tratamento que estão recebendo, assim como nós”, disse Zaw Zaw, uma paciente de trinta anos de idade. Ela, o marido e seu filho mais novo são soropositivos, e estão recebendo tratamento antirretroviral em uma clínica de MSF.  No entanto, apesar dos promissores esforços para aumentar o orçamento voltado para a saúde no país, ainda serão necessários muitos anos para que o sistema de saúde esteja devidamente pronto para atender todas as demandas da população.

“A questão aqui é simples. Se aumentarmos rapidamente a oferta de tratamento contra HIV e TB agora, poderemos evitar novas transmissões e salvar milhares de vidas, bem como economizar recursos. Quanto menos pessoas infectadas, menos mortes e menos pessoas precisando de tratamento”, concluiu de Groote. “É fundamental que os doadores do Fundo Global ajudem o Mianmar a garantir a oferta de tratamento contra HIV e TB para cada vez mais pacientes no país.”

O relatório Lives in the Balance está disponível, em inglês.