Você está aqui

Médicos Sem Fronteiras suspende atividades no Iraque

04/11/2004
MSF está presente no Iraque desde 2002 e mesmo durante o bombardeio a Bagdá manteve uma pequena equipe na capital do país. No entanto, com a crescente onda de violência no país, MSF acredita que não pode mais garantir a segurança dos seus profissionais.

A organização internacional de ajuda humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) está fechando a sua missão no Iraque. MSF tomou esta decisão por causa da situação de grande risco vivida atualmente pelos profissionais de ajuda humanitária naquele país. Diante das necessidades de saúde e humanitárias do povo iraquiano, esta decisão está sendo tomada com um grande sentimento de tristeza e pesar.

Devido à crescente onda de violência no país, MSF considera que não pode mais aceitar expor seus profissionais aos graves riscos que, aparentemente, estão relacionados ao fato de estarem associados à uma organização de ajuda humanitária.

"Se tornou impossível para MSF, como uma organização, garantir um nível aceitável de segurança para os seus profissionais, sejam eles estrangeiros ou iraquianos", diz Gorik Ooms, Diretor Geral de MSF na Bélgica. "Nós lamentamos profundamente o fato de não mais sermos capazes de oferecer ajuda médica necessária ao povo iraquiano".

MSF sempre seguiu estritamente os seus princípios de independência e nunca permitiu que questões políticas, militares ou mesmo outros motivos interferissem no seu objetivo de prestar assistência àqueles que precisam de ajuda humanitária urgente. Hoje, no Iraque, as partes em conflito vêm mostrando, com frequência, desrespeito pelo trabalho humanitário independente.

MSF está presente no Iraque desde 2002. Durante o bombardeio à Bagdá uma equipe reduzida de profissionais humanitários permaneceu na cidade para prestar assistência nos hospitais da capital iraquiana. Logo depois, MSF montou três clínicas em Sadr City e começou a apoiar o hospital de referência. As clínicas ofereceram cerca de 100.000 consultas médicas desde janeiro de 2004. Durante este ano, MSF fez um levantamento das necessidades humanitárias em cidades que sofriam com os conflitos mais pesados – Falluja, Najaf e Kerbal – e ofereceu apoio aos profissionais de saúde dessas cidades. A organização ainda disponibilizou uma ambulância para as suas atividades em Sadr City. Recentemente, MSF passou a se envolver com a assistência das pessoas deslocadas de Falluja.

Leia mais sobre