Você está aqui

Médicos Sem Fronteiras lança relatório: “Dadaab: de volta à estaca zero”

16/02/2012
Organização analisa a situação humanitária no maior campo de refugiados do mundo

Médicos Sem Fronteiras (MSF) lançou hoje o relatório “Dadaab: de volta à estaca zero”, no qual a organização humanitária internacional faz um balanço da atual situação humanitária e dos desafios operacionais em Dadaab (no Quênia), o maior campo de refugiados do mundo. O documento também analisa a ajuda de emergência oferecida por MSF ao longo de 2011.

“MSF agora enfrente o seguinte dilema: nós queremos continuar trabalhando em Dadaab, porque a situação humanitária é extremamente grave, mas estamos impedidos de oferecer uma resposta adequada por conta da falta de segurança”, disse Laurent Ligozat, vice-diretor de operações de MSF. “Por enquanto, optamos por focar nossas atividades principalmente em assistência médica vital. Nós também estamos preparados para expandir nossas atividades assim que houver condições.”

Desde o início de 2009, MSF tem falado repetidamente sobre as péssimas condições de vida dos refugiados e a necessidade de oferecer ajuda humanitária, proteção e dignidade. Hoje MSF está soando o alarme novamente.

“Os refugiados precisam de proteção e cuidado, pois suas vidas estão ficando mais difíceis a cada dia. A saúde dessas pessoas corre o risco de se deteriorar rapidamente enquanto as organizações de ajuda humanitária lutam para prestar assistência significativa e constante em um contexto cada vez mais inseguro”,  Dr. Monica Rull, coordenadora do projeto de MSF no Quênia e Somália.

Os refugiados que estão em Dadaab, e os que estão a caminho, precisam, cada vez mais, do apoio contínuo do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), do governo queniano e das organizações humanitárias para sobreviver. É responsabilidade dos tomadores de decisão reverter a tendência atual, em que os refugiados estão pagando o preço de um conflito que eles estão tentando escapar. A prioridade deveria ser continuar oferecendo proteção e assistência aos milhares de refugiados. MSF está fazendo tudo o que pode para garantir Blanca Thiebaut e Montserrat Serra - as duas profissionais de MSF sequestradas em Dadaab, no dia 13 de outubro de 2011, enquanto trabalhavam na assistência humanitária dos refugiados somalis – sejam libertadas com segurança. MSF apela a todos os somalis – aqueles da diáspora, aos líderes comunitários e especialmente às autoridades que controlam as áreas na Somália onde nossas colegas sequestradas estão detidas – para fazer todo o possível para facilitar a libertação segura de Blanca e Montserrat.
 

Leia mais sobre