Você está aqui

Médicos Sem Fronteiras atende vítimas do ciclone Nargis

06/05/2008
Equipes conseguiram ter acesso à população de Yangon, mas estão tentando chegar a outras regiões fora da cidade, que parecem ter sido bastante atingidas pelo fenômeno

Três dias após a passagem do ciclone Nargis, que afetou várias áreas em Mianmar provocando a morte de pelo menos 10 mil pessoas e provocando grande danos materiais, grande parte da população continua sem acesso a água potável, alimentos e abrigos. Até o momento, equipes de MSF conseguiram ter acesso a áreas de Yangon, a maior cidade do país, e estão tentando chegar a outras regiões fora de Yangon, suspeitas de terem sido muito afetadas. Para os atores humanitários, é essencial ter acesso irrestrito e imediado a todas as populações e localidades afetadas para tomar conhecimento das necessidades e agir da melhor maneira possível.

Nossas equipes em Yangon começaram a estabelecer a primeira resposta emergencial, que inclui distribuição de comida, lâminas de plástico e kits para clorar a água. Em Daala e Twante, duas vilas com uma população total de 300 mil pessoas, as equipes de MSF observaram uma destruição de 80% das casas em alguns lugares e o nível da água chega a um metro. Sob essas circunstâncias, as doenças infecciosas como o cólera são um problema e podem se espalhar rapidamente. Nessas duas áreas, MSF está organizando a primeira resposta de emergência através da distribuição de comida, água e itens de primeira necessidade para 5 mil pessoas.

MSF também tem quatro clínicas funcionando a longo prazo em outras vilas de Yangon, com foco no tratamento materno e infantil, doenças sexualmente transmissíveis (HIV/Aids) e deixou todas essas clínicas à disposição de qualquer pessoa com problemas de saúde relativos ao ciclone.

MSF está tratando mais de 16 mil pacientes com HIV/Aids e tem mais de 8 mil pacientes em tratamento com anti-retroviras. A organização teme que alguns dos pacientes tenham seu tratamento interrompido, seja porque não conseguem ter acesso às clínicas ou porque perderam seus remédios durante o ciclone.

As famílias que tiveram as suas casas destruídas agora estão vivendo em estruturas públicas que resistiram à passagem do ciclone, como pagodas e escolas. A prioridade é fornecer água potável, alimentos e itens de primeira emergência.

O preço dos alimentos básicos, incluindo o arroz, já dobrou nos últimos dias, o que é bastante preocupante para uma população que já vivia sob condições de vida precárias antes do ciclone.

No momento, nossas esquipes não têm observado ferimentos em uma escala significante. No entanto, suspeitamos que os principais danos estejam em áreas fora de Yangon, onde estamos tentando chegar. Uma equipe está indo hoje para a costa oeste do país, uma área aparentemente muito castigada pelo ciclone Nargis.