Você está aqui

Mar Mediterrâneo: MSF não prestará mais assistência médica emergencial e cuidados pós-resgate no MY Phoenix

23/09/2015
Organização MOAS (Migrant Offshore Aid Station), que operava o MY Phoenix em parceria com MSF, decidiu interromper sua atuação no Mediterrâneo

Foto: Gabriele François Casini/MSF

A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) foi informada que a MOAS (Migrant Offshore Aid Station) decidiu interromper sua atual operação de busca e resgate no Mar Mediterrâneo. Como resultado, MSF não prestará mais assistência médica emergencial e cuidados pós-resgate a bordo do MY Phoenix, como tem feito desde o dia 2 de maio de 2015.

Apesar do fim do trabalho de MSF a bordo do MY Phoenix, a organização continuará comprometida em ajudar as pessoas no Mediterrâneo central com seus dois barcos de busca e resgate, o Dignity I e o Bourbon Argos. MSF também está prestando assistência a imigrantes e refugiados pela Europa, assim como em países afetados por conflitos e crises humanitárias, incluindo Síria, Turquia, Etiópia, Iraque, Afeganistão e Nigéria.

“Ainda há a necessidade de barcos de busca e resgate atuando de maneira contínua, proativa e dedicada. Até o momento, neste ano, mais de 2.800 pessoas se afogaram enquanto buscavam uma vida na Europa. Enquanto os conflitos resultarem em deslocamentos massivos, que, por sua vez, sobrecarregam países vizinhos, as pessoas que necessitam de abrigo seguro continuarão indo para a Europa. Na ausência de meios seguros e legais para chegarem, as pessoas vão continuar arriscando suas vidas, e morrendo, no mar”, disse Will Turner, coordenador de emergência de MSF a bordo do MY Phoenix.

Em quase cinco meses de operações, a equipe de MSF, composta por seis pessoas, a bordo do MY Phoenix, cuidou de 6.985 pessoas resgatadas de barcos de madeira e de borracha em más condições ou incapazes de navegar. Fugindo de lugares como Eritreia, Somália, Nigéria, Síria, Gâmbia e Líbia, as pessoas que foram resgatadas contaram histórias horríveis e angustiantes sobre seus países de origem e sua jornada. Elas têm sido tratadas por MSF por uma série de condições que variam de leve desidratação e hipotermia a insuficiência renal e ferimentos à bala.

Desde o início das operações em 2 de maio, equipes de MSF a bordo do MY Phoenix, do Bourbon Argos e do Dignity I prestaram assistência a cerca de 16.113 pessoas no Mar Mediterrâneo.

Leia mais sobre