Você está aqui

Mais jovem paciente de MDR-TB é tratada no Tadjiquistão

11/03/2013
Bebê de nove meses recebe tratamento para a tuberculose resistente a medicamentos no projeto de MSF

Poucas crianças no hospital pediátrico de tuberculose em Dushanbe aparentam estar tão ativas e saudáveis quanto Shirinmo. Ela parece inteligente e agitada, à medida que engatinha pelo chão da sala de espera. Mas, ao se aproximar, é possível perceber que sua respiração é ofegante e tem ruídos. O diagnóstico é devastador: a criança de nove meses é portadora da tuberculose multirresistente a medicamentos (MDR-TB), doença que se espalha facilmente e, se não for tratada, pode levar à morte.

“Shirinmo não é a criança mais jovem que vimos com tuberculose, mas é a mais jovem paciente que diagnosticamos com MDR-TB”, conta o Dr. Christoph Hoehn, da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF), que inaugurou seu projeto voltado para crianças com MDR-TB no Tadjiquistão no final de 2011. “Bebês correm maior risco de desenvolverem esse tipo de doença porque seu sistema imunológico ainda não amadureceu integralmente”, explica.

O diagnóstico de Shirinmo é a mais recente de uma série de “iniciativas precursoras” para a equipe de MSF. O bebê foi diagnosticado por meio da utilização de dois testes rápidos introduzidos no hospital em fevereiro de 2013. Com a indução de expectoração, os pacientes inalam uma solução salina que libera o escarro de seus pulmões. O escarro, então, é facilmente succionado. O método é seguro para ser utilizado em bebês com um mês de vida.

Posteriormente, o escarro é examinado com o GeneXpert, um novo teste que avalia a resistência a medicamentos da TB, que reduziu o tempo de diagnóstico de 42 dias para apenas duas horas.
 
MSF também passou a formular medicamentos de MDR-TB específicos para crianças na farmácia de Dushanbe. Até o momento, não havia fórmulas para crianças no mercado e elas tinham de tomar medicamentos produzidos para adultos – geralmente, pílulas grande, difíceis de engolir e com um gosto bastante desagradável. MSF criou um xarope infantil, dissolvendo os medicamentos em um líquido aromatizado em quantidades apropriadas para bebês e adolescentes. O Tadjiquistão é o primeiro projeto de MSF onde essa fórmula está sendo usada para tratar pacientes jovens, como Shirinmo.
 
Para vencer a doença, a pequena garota enfrenta um enorme desafio: pelos próximos 18 meses, ela terá de tomar o xarope juntamente com outros dois medicamentos orais e por seis destes meses, terá de tomar também injeções de outro medicamento. O tratamento é tão longo, difícil e desagradável que a maioria dos adultos tem grande dificuldade de concluí-lo. Felizmente, o Dr. Hoehn diz que crianças, geralmente, têm mais facilidade: “Crianças sofrem menos com os efeitos colaterais mais comuns, que são náusea, vômitos e dores nas juntas”.
 
Um dos efeitos colaterais dos medicamentos injetáveis são problemas auditivos, que afetam até metade de todos os pacientes e causam surdez permanente em alguns. O efeito em crianças é desconhecido. “Não temos como monitorar a audição de pacientes tão jovens”, conta Dr. Hoehn.
 
Há uma verdadeira falta de informação e diretrizes sobre o tratamento de crianças com estirpes de TB resistentes a medicamentos. “Crianças com TB foram negligenciadas por muito tempo, principalmente aquelas que sofrem com MDR-TB”, diz Grania Brigden, especialista em TB da Campanha de Acesso a Medicamentos de MSF.  “Precisamos garantir que quaisquer avanços nos tratamento e diagnóstico de TB estejam disponíveis rapidamente para crianças, e é vital que novos medicamentos para MDR-TB tenham fórmulas adequadas para crianças.”
 
Crianças com TB que sejam diagnosticadas rapidamente e iniciadas em tratamento adequado – e se comprometam com ele – têm uma boa chance de cura. Quanto a Shirinmo, Dr. Hoehn diz: “De modo geral, acho que ela tem boas chances, se sua mãe puder mantê-la em tratamento. Felizmente, ela é bem nutrida, o que, comumente, pode ser um problema”. Se tudo correr bem, em 18 meses a equipe de Dushanbe estará celebrando uma nova conquista: a mais jovem paciente de MDR-TB curada com sucesso.
 
Atualmente, MSF tem 30 crianças e adolescentes em tratamento para MDR-TB em seu projeto no Tadjiquistão.
 
*O nome da paciente foi alterado