Você está aqui

Líbia: MSF procura maneiras de levar assistência aos feridos

10/03/2011
Equipes da organização continuam procurando formas de distribuir mais remédios e suprimentos médicos para as áreas afetadas pela violência

Desde que a primeira equipe de Médicos Sem Fronteiras (MSF) conseguiu cruzar a fronteira do Egito e entrar na Líbia, em 24 de fevereiro, MSF vem monitorando a situação em diversas instalações médicas em Benghazi e áreas vizinhas, como Brega e Ajdabya, bem como doando suprimentos médicos.

Até agora, MSF entregou 22 toneladas de equipamentos e suprimentos médicos em Benghazi, incluindo remédios, kits para queimaduras, curativos, suturas e fixadores externos, para a farmácia central da cidade. No momento, mais 11 toneladas de suprimentos estão a caminho de Benghazi, prontos para serem encaminhados para áreas nas quais os conflitos causaram uma diminuição nos estoques e um aumento nas demandas.

A equipe de MSF continua tentando acessar Ras Lanuf e outras áreas no oeste da Líbia, mas a insegurança e os conflitos continuam tornando esses acessos impossíveis.

No dia 3 de março, uma equipe cirúrgica visitou o único hospital na cidade de Ajdabiya, a aproximadamente 160 km de Benghazi. No dia 2 de março, 30 pessoas feridas foram admitidas no hospital, e 11 delas morreram. Em geral, o hospital foi capaz de lidar com o fluxo de pacientes, e as necessidades foram atendidas no momento da visita.

Quando novos conflitos a oeste de Ras Lanuf geraram uma nova onda de feridos no hospital de Ajdabya, uma enfermeira cirúrgica de MSF passou a noite na ala de cirurgia dando assistência a dez intervenções cirúrgicas em pacientes que foram feridos por armas de fogo. No total, 50 feridos foram tratados naquele dia no hospital de Ajdabiya.

O acesso a áreas ocidentais do país ainda é bastante difícil, e médicos em várias localidades vêm pedindo o apoio de MSF. A organização está trabalhando para entregar mais remédios e suprimentos para esses profissionais. No dia 6 de março, uma equipe de MSF que partiu para Ras Lanuf não pôde prosseguir devido à grande insegurança.

No lado ocidental da Líbia, uma equipe de MSF está na fronteira com a Tunísia desde 23 de fevereiro, pronta para mandar profissionais e suprimentos médicos assim que a fronteira for aberta.

Aproximadamente 94 mil pessoas fugiram da Líbia pela fronteira com a Tunísia nos últimos dias. Desde o dia 3 de março, o fluxo de pessoas atravessando a fronteira diminuiu, passando de 8 a 14 mil pessoas por dia para uma média de 2.500 pessoas por dia.

Enquanto a maioria das necessidades dos imigrantes está sendo suprida, MSF lançou no dia 4 de março um programa de saúde mental, uma vez que muitas dessas pessoas testemunharam ou sofreram várias formas de violência na Líbia, e se deparam com grandes incertezas a respeito de seu futuro imediato.

MSF está monitorando a situação na fronteira, e está pronta para oferecer assistência médico-humanitária. Pessoas feridas supostamente não estão sendo autorizadas a sair da Líbia, e poucos casos de feridos que conseguiram cruzar a fronteira foram relatados. Ao mesmo tempo, equipes e suprimentos médicos estão sendo impedidos de atravessar o lado tunisiano da fronteira. MSF está buscando alternativas para enviar mais remédios e suprimentos médicos para atender as necessidades das equipes médicas atuando na parte ocidental da Líbia.

Leia mais sobre