Você está aqui

Líbia: MSF intervém em hospital de Misrata

03/05/2011
MSF é a única organização não governamental médica na cidade

Uma equipe de MSF composta por 12 pessoas está trabalhando no hospital de Kasr Ahmed, na cidade sitiada de Misrata, onde está implementando atividades médicas e cirúrgicas. Eles também estão dando apoio ao hospital de Al Hikma.

Uma equipe de MSF chegou a Misrata na quinta-feira, 28 de abril, para fortalecer a equipe de três pessoas que já estava lá havia dez dias, avaliando as necessidades médicas. Os nove novos membros – dois cirurgiões, dois anestesistas, três enfermeiros, um médico e um especialista em logística – saíram de Malta de navio, trazendo 12 toneladas de suprimentos médicos.

Um dos cirurgiões de MSF na equipe está agora trabalhando no hospital de Al Hikma, referência para o encaminhamento de pacientes que precisam de cirurgias complexas, dando apoio à equipe médica líbia que vem trabalhando sem parar nos últimos dias.

O resto da equipe está se preparando para iniciar suas atividades no hospital de Kasr Ahmed, localizado na parte mais oriental da cidade. Inicialmente, a equipe irá realizar melhorias nas instalações do hospital, reconstruindo a sala de cirurgia e organizando os quartos de recuperação.

A meta é oferecer cuidados médicos e cirúrgicos à maior parte da população de Misrata, que vem procurando refúgio nesta parte da cidade, após fugir de violentos confrontos nas áreas central e sul da cidade, e aos imigrantes africanos e asiáticos isolados no porto, esperando um barco para levá-los de volta a seus países.

Instalações médicas, medicamentos e suprimentos estão em falta

Além das emergências médicas e cirúrgicas e dos cuidados pediátricos, que deverão estar disponíveis nos próximos dias, MSF planeja aumentar a capacidade de leitos no hospital de Kasr Ahmed, de 12 para 50, e também reconstruir a sala de cirurgia.

De acordo com nossas equipes que estão no local, os hospitais de Misrata têm capacidade extremamente limitada – aproximadamente 100 leitos – e recursos para uma população de aproximadamente 300 mil pessoas. Na área de serviços neonatais e pediátricos, MSF vai aumentar o acesso a cuidados de emergência para crianças e mulheres grávidas, instalando uma segunda sala de operações e aumentando o número de leitos. Atualmente, MSF é a única organização não governamental médica na cidade.

No sábado, um barco carregando cinco funcionários internacionais deixou Benghazi rumo a Misrata. Eles irão se juntar a outros membros que já estão no local. Essa equipe irá focar nos trabalhos de obstetrícia e ginecologia, pediatria e assistência neonatal na clínica de Tubah. A equipe também conta com uma parteira, duas enfermeiras, um especialista de logística e um psicólogo. Também vai incluir cinco expatriados (um ginecologista, um anestesista, um gerente médico, uma enfermeira cirúrgica e um pediatra), que deixarão Malta na quarta-feira, e irão para Misrata em um navio cargueiro que transportará 7,5 toneladas de suprimentos.

Condições ainda são instáveis na fronteira com a Tunísia
 
No dia 27 de abril, bombardeios das forças armadas do governo danificaram o hospital em Zintan, localizado ao sul da fronteira da Líbia com a Tunísia. Seguindo os ataques, as equipes de MSF evacuaram 18 pacientes de ambulância e ofereceram primeiros socorros e cuidados de estabilização.

As tropas de Khadafi encurralaram os grupos de oposição entre a fronteira com a Tunísia e Dehiba. Os confrontos continuam, enquanto a maioria das pessoas que procuram refúgio do outro lado da fronteira são mulheres e crianças, já que os homens retornaram à Líbia, para proteger suas casas ou para participar das manifestações. As necessidades médicas estão aumentando no sul de Dehiba, de modo que os centros médicos necessitam cada vez mais da ajuda de MSF para garantir a estabilização dos pacientes, bem como a realização de cirurgias e a oferta de assistência médica geral aos feridos. MSF também está dando apoio psicológico em um acampamento e nas comunidades que acolhem refugiados líbios.

Leia mais sobre