Você está aqui

Líbano: Providenciando cuidados hospitalares às comunidades vulneráveis em Bar Elias

05/02/2020
MSF presta serviços cirúrgicos especializados a pacientes libaneses e sírios a partir de março deste ano
Líbano: Providenciando cuidados hospitalares às comunidades vulneráveis em Bar Elias

Foto: May AbdelSater/MSF

Os recentes processos no Líbano realçaram os crescentes desafios econômicos enfrentados pela população em todo o país. Embora a situação tenha piorado consideravelmente nos últimos meses, esses desafios persistem há anos por diferentes setores da sociedade libanesa. Por exemplo, obter assistência médica acessível tem sido um problema particular para pessoas vulneráveis situadas à margem da sociedade libanesa, assim como para refugiados e migrantes.

Estima-se que quase um terço da população libanesa viva abaixo da linha da pobreza, com menos de 15 reais por dia. Ao mesmo tempo, o Líbano hospeda mais de um milhão de refugiados sírios, dos quais mais de um terço vivem no Vale do Beqaa.

Para atender às necessidades dessas pessoas, em outubro de 2018, Médicos Sem Fronteiras (MSF) abriu um hospital de vinte e dois leitos na cidade de Bar Elias, no coração do Vale de Beqaa.

"Nosso objetivo é fornecer assistência médica às comunidades mais vulneráveis que vivem no Vale do Beqaa", diz Amaury Gregoire, chefe de missão de MSF no Líbano. "Queremos dar a essas pessoas a oportunidade de acessar os serviços de saúde secundários e terciários com facilidade, mesmo que elas não tenham condições financeiras".
O hospital fornece serviços médicos, incluindo cirurgias não urgentes para hérnias, hemorroidas, cistos e cirurgias ginecológicas, como a do útero prolapso. O hospital também oferece atendimento pós-ferida, como lesões nos pés ligadas ao diabetes e feridas oriundas de úlceras.

"Você pode achar que tratar uma hérnia ou uma lesão nos pés ligada ao diabetes não é uma emergência, porém é essencial para essas pessoas" diz Gregoire. “A maioria vive em condições muito difíceis e esses problemas médicos causam muito sofrimento adicional, muitas vezes impedindo-os de gerar a renda mínima necessária para alimentar suas famílias. Nossa intenção, com este hospital, é aliviar esse sofrimento da melhor maneira possível.”

O hospital também cuida de ferimentos pós-queimadura e, em março de 2020, também começará a fornecer cirurgia plástica reconstrutiva, com foco nesses ferimentos pós-queimaduras.  

"Esses serviços são particularmente relevantes porque as pessoas que vivem em áreas vulneráveis são mais propensas a sofrer lesões e queimaduras, principalmente crianças", diz o consultor médico de MSF, Dr. Wael Harb. “A falta de medidas adequadas de segurança contra incêndios em abrigos informais e até em casas aumenta a probabilidade das pessoas sofrerem queimaduras de segundo e terceiro graus. Na área de Beqaa, o acesso a cirurgia reconstrutiva pós-queimadura de baixo custo é quase inexistente.”

As lesões pós-queimadura geralmente requerem tratamento prolongado e caro, e sem tratamento podem causar incapacidade temporária ou permanente, dificultando ainda mais a vida das pessoas.  

Ahmad, 29 anos, sofreu uma queimadura elétrica na perna esquerda, que foi infectada e não teve cura. Vinte dias após o acidente, ele foi ao hospital Bar Elias. Após 10 semanas de um cuidadoso tratamento as feridas na perna de Ahmad foram curadas. "Graças ao apoio de MSF posso andar de novo e conseguir um emprego para ajudar a sustentar minha família", diz Ahmad.

Desde que foi inaugurado em outubro de 2018, a equipe do hospital realizou mais de 1.000 cirurgias eletivas e 4.700 consultas pós-feridas.

Mahmoud, 51 anos, carpinteiro independente do Líbano, foi diagnosticado com um problema intestinal e hérnia abdominal em 2018, mas não podia pagar uma cirurgia e não possuía plano de saúde. Notando o hospital a caminho de casa um dia, ele perguntou se MSF poderia ajudar. Algumas semanas depois, Mahmoud passou por uma cirurgia e atualmente continua a comparecer para consultas regulares de acompanhamento. "Estou me sentindo ótimo agora, felizmente sem mais náuseas ou dores abdominais, diz ele.

Este ano MSF planeja ajudar ainda mais pacientes no Líbano com a extensão de seus serviços.

------------------------------------------------------------------

Sobre MSF Líbano:

Médicos Sem Fronteiras (MSF) é uma organização humanitária internacional e independente que leva assitência médica de emergência à pessoas excluídas do acesso à saúde afetadas por conflitos armados, epidemias e desastres naturais em mais de 70 países ao redor do mundo.  MSF oferece assistência às pessoas com base na necessidade, independentemente de raça, religião, gênero ou opinião política. Quando MSF testemunha atos graves de violência, crises negligenciadas ou obstruções das suas atividades, a organização tem o papel de se manifestar. MSF começou a trabalhar no Líbano em 1976 em resposta à guerra civil, enviando equipes médicas para o sul do país e Beirute. Esta foi a primeira missão de MSF em uma zona de guerra. Hoje, MSF oferece assistência médica gratuita em vários locais do Líbano.

 

Leia mais sobre

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar