Você está aqui

Japão: MSF continua tratando doenças crônicas entre idosos nos centros de evacuação

22/03/2011
Ao longo da última semana, MSF vem oferecendo consultas médicas nos centros de evacuação em Minami Sanriku, onde cerca de 10 mil pessoas estão abrigadas em 20 locais diferentes

Ao longo da última semana, MSF vem oferecendo consultas médicas nos centros de evacuação em Minami Sanriku, onde cerca de 10 mil pessoas estão abrigadas em 20 locais diferentes.

Dr Yoshitaka Nakagawa, que trabalhou com MSF em comunidades remotas seriamente atingidas pelo terremoto e pelo tsunami, relatou que tratou um homem de 70 anos que sofria de falência renal crônica e sua condição estava deteriorando porque não estava conseguindo chegar à clínica onde havia aparelhos de hemodiálise.

"Felizmente, sua família estava tomando conta dele desde o terremoto e fez todo o possível para ajudá-lo, checando seu peso, nível de açúcar no sangue e se assegurando que suas refeições e atividades fossem mantidas", disse o Dr Nakagawa. Ele prescreveu a medicação correta e ofereceu um tratamento adaptado para estabilizar sua condição. Uma equipe móvel de MSF vai monitorar o caso nos próximos dias.

A situação nas áreas visitadas pela equipe de MSF no norte da província de Miyagi está melhorando rapidamente, uma vez que a enorme operação nacional de ajuda às vítimas possibilita o acesso às áreas afetadas, e grandes quantidades de suprimentos continuam chegando.

O maior problema visto até agora pelos médicos de MSF continua sendo a questão das doenças crônicas em uma população majoritariamente idosa.

Enquanto os membros da equipe móvel de 12 pessoas de MSF continuam a oferecer consultas médicas nos centros de evacuação na área atingida, MSF está escutando as pessoas evacuadas e respondendo às suas necessidades, inclusive os pedidos por produtos de higiene pessoal, como sabonetes, escovas e pasta de dente e toalhas.

"As condições de vida ainda são difíceis. Há uma superpopulação em alguns centros e, uma semana após o desastre inicial, as pessoas estão com necessidade de itens de higiene pessoal", disse Emmanuel Goue, coordenador de emergência do projeto.

"Nos próximos dias, nós estamos planejando distribuir estes itens diretamente nos centros de evacuação para aproximadamente 10 mil pessoas na região de Minami Sanriku, além das atividades médicas", disse Goue.

No sábado, um psicólogo também se juntou à equipe no nordeste, para avaliar a necessidade de ampliar as atividades e entender quais os recursos disponíveis no terreno.

"Pessoas de idade são mais vulneráveis a esse tipo de situação. Há o trauma intenso vivido depois do terremoto e do tsunami", disse o psicólogo de MSF Ritsuko Nishimae. "No entanto, traumas a médio prazo também se apresentam quando pessoas de idade são evacuadas de suas casas para outras localidades. A maioria das pessoas é capaz de se adaptar a novas circunstâncias, mas para os idosos isso é mais difícil e requer mais tempo.