Você está aqui

Inovação: como o wifi pode ajudar nossos pacientes a respirar com mais facilidade

04/10/2019
Ahmed Alhitary, cientista biomédico de MSF, fala como a nova tecnologia ajuda em hospitais
Inovação: como o wifi pode ajudar nossos pacientes a respirar com mais facilidade

Foto: MSF/Al Hareth Al Maqaleh

De campainhas "inteligentes" a aplicativos de termostatos, a tecnologia nos permite cada vez mais monitorar e controlar nossas casas remotamente. No Iêmen, devastado pela guerra, onde as demandas de nossa equipe são grandes e o espaço para erros é pequeno, uma pessoa de nossa equipe pergunta: isso também poderia funcionar para hospitais?

Como cientista biomédico de Médicos Sem Fronteiras (MSF), parte do meu papel é garantir que os concentradores de oxigênio – que convertem o ar ao nosso redor em oxigênio de classe médica – estejam sempre em boas condições de funcionamento. Eles ajudam a salvar vidas.
Mas à medida que a necessidade de oxigênio médico aumenta, a manutenção dessas máquinas vitais se torna mais desafiadora.

Internet das coisas
A "Internet das coisas" é a tecnologia que permite que objetos do cotidiano sejam interconectados com um computador. Nosso projeto tem como objetivo conectar os concentradores de oxigênio do hospital a um aplicativo, permitindo que a equipe biomédica monitore facilmente todos os concentradores nas diferentes enfermarias do hospital e tome medidas rapidamente se algo der errado.

Como funciona
O hardware consiste em microcontrolador Wi-Fi ESP32, sensor de oxigênio, sensor de temperatura e relógio em tempo real. Um hardware como esse pode ser difícil de encontrar em muitos lugares onde MSF trabalha (incluindo aqui no Iêmen), mas está prontamente disponível em outros lugares.

Os sensores coletam informações como a concentração de oxigênio, o número de horas que a máquina está trabalhando e a temperatura do compressor. Essas informações são passadas para o microcontrolador e convertidas em uma forma legível de dados, depois enviadas via Wi-Fi para um aplicativo em um laptop.  
No laptop, os dados são exibidos em um painel simples com cada um dos diferentes valores em sua própria coluna específica. Os valores são atualizados no painel a cada oito segundos.

Dados em tempo real
Ter esses dados em tempo real sobre uma máquina de oxigênio em operação nos permitirá acompanhar seu desempenho on-line, sem a necessidade de ir e verificá-la fisicamente.

Quando você tem um alto número de concentradores dentro do hospital, isso pode economizar muito tempo para a equipe, que pode ser investido em outras maneiras de melhorar o atendimento aos nossos pacientes.
Ter os dados também nos permitirá ser mais precisos. Por exemplo: o contador de horas nos diz exatamente quanto tempo um concentrador de oxigênio está funcionando. E, acompanhando isso, podemos determinar quando a próxima máquina precisará ser reparada.

Esse trabalho de manutenção preventiva reduz o risco de uma súbita avaria, facilitando a garantia de que o oxigênio esteja sempre disponível quando os pacientes precisarem.

Resposta
O dispositivo também nos permite responder rapidamente se algo der errado.
No painel, podemos configurar um gatilho sempre que o valor de um determinado feed atingir um determinado valor. Por exemplo, se a porcentagem de oxigênio for menor que 80%.

Quando isso acontece, o gatilho pode ser um e-mail enviado automaticamente para a equipe ou uma mensagem publicada em outra coluna no próprio painel.

Mesmo se um concentrador de oxigênio quebrar por algum motivo, ter os dados armazenados significaria que poderíamos revisar o histórico da concentração de oxigênio e da temperatura do compressor para nos ajudar a solucionar o erro. Isso pode significar levar a máquina de volta a fornecer oxigênio que salva vidas para nossos pacientes ainda mais rapidamente.
 

Leia mais sobre

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar