Você está aqui

Índia: as feridas físicas e psicológicas de 15 anos de violência de gênero

15/03/2019
Kamla, abusada sexualmente por seu marido, recebe tratamento na clínica de Umeed ki Kiran, em Delhi
Índia: as feridas físicas e psicológicas de 15 anos de violência de gênero

Foto: Showkat Nanda

Kamla*, de estrutura magra, olhou ao redor, sem saber se estava no lugar certo, e hesitando em compartilhar sua experiência. Essa era a primeira vez que ela visitava a clínica Umeed ki Kiran (Raio de Esperança), de MSF, por recomendação de um educador de saúde de MSF. Tranquilizada pela simpatia da conselheira, que lhe prometeu total privacidade, Kamla se sentiu capaz de compartilhar sua história de abuso com a equipe de lá.

A tia de Kamla trouxe-a para Jahangirpuri, Delhi, de outra cidade quando ela 5 cinco anos de idade. Ela foi forçada a trabalhar na casa de sua tia, fazer outros trabalhos domésticos e entregar seus ganhos para sua tia. Então, ela foi forçada a um casamento infantil e abusivo. Seu marido atacou repetidamente Kamla sexualmente, emocionalmente, fisicamente e verbalmente pelos 15 anos seguintes.

Kamla se sentiu incapaz de compartilhar sua história com alguém, pensando que era um assunto particular de família. Buscar cuidados médicos não era algo que ela considerava de maneira alguma. Mas a ausência de familiares e amigos exacerbou seu isolamento. "A questão da violência sexual e de gênero aqui é multifacetada", explica Huzaifa, conselheira de Kamla. “Às vezes as vítimas nem percebem que estão sendo abusadas e aceitam isso como um modo de vida. Às vezes, elas têm muito medo de pedir ajuda, temendo que isso agrave o problema ou que os serviços não sejam privados nem confidenciais. Nós tivemos sobreviventes que não tinham ideia de onde procurar ajuda. A clínica Umeed Ki Kiran em Delhi, por meio de sua abordagem centrada no paciente, não apenas fornece ajuda médica e psicossocial, mas também educa a comunidade sobre violência sexual e de gênero e a necessidade de ajuda médica em tempo hábil.”

As lesões são consequências comuns da violência física e sexual, mas as feridas psicológicas podem ser igualmente prejudiciais. O abuso de Kamla levou a pensamentos suicidas. "Ela parecia esgotada e sem esperança na primeira vez que a vi", diz Huzaifa. “Ela estava preparada para tirar a própria vida e as de seus três filhos. Para ajudá-la a sair desse estado, ela não precisava apenas de tratamento para seus ferimentos físicos, mas também de aconselhamento."

Assim como todos os sobreviventes que compareceram à clínica Umeed ki Kiran, de MSF, Kamla foi examinada para lesões físicas e foi designada uma conselheira que ela vê regularmente. “Às vezes eu sentia que ela só queria alguém para desabafar, alguém para a ouvir e dizer que ela não estava sozinha, para mostrar esperança a ela. Nesse sentido, às vezes penso comigo mesmo como a clínica Umeed ki Kiran realmente fez jus a seu nome para Kamla ”, diz Huzaifa.

Depois de várias sessões de aconselhamento, Kamla decidiu deixar o marido e mudar-se para outro local com os filhos. Umeed ki Kiran também direciona os pacientes a outros serviços, como atendimento médico especializado, serviços legais e abrigos, então Kamla e seus filhos puderam se mudar para um local seguro.

Kamla agora vive no abrigo, trabalha e está criando seus três filhos longe do abuso. Ela quer que eles se transformem em cavalheiros. “Eu a encontrei no abrigo no outro dia, cheia de vida! Me deixou muito feliz não apenas testemunhar essa transformação, mas também desempenhar um papel nisso”, diz Huzaifa.       
*Alguns nomes e detalhes de identificação foram alterados para proteger a privacidade da paciente.
 

Leia mais sobre