Você está aqui

Iêmen: população foge de Haradh depois dos últimos ataques deixarem 11 mortos e 67 feridos

27/04/2015
Conflitos continuam se agravando em diversas regiões do país

Foto: MSF

Ao menos 11 pessoas foram mortas e 67 ficaram feridas desde 21 de abril durante ataques aéreos e bombardeios constantes no distrito de Haradh, no noroeste do Iêmen, de acordo com a organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF).

Os 67 feridos foram tratados pela equipe médica de MSF no hospital público de Haradh, apoiado pela organização. Haradh é hoje uma “cidade fantasma”, depois que sua população fugiu da violência das últimas semanas.

O último ataque aconteceu na noite de sexta-feira, 24 de abril, quando diversas bombas atingiram a cidade de Haradh. Grandes fragmentos da explosão caíram a menos de 30 metros do hospital público de Haradh quando a equipe médica recebia o primeiro ferido. Nove pessoas feridas chegaram ao hospital; duas delas morreram apesar dos esforços do Ministério da Saúde e dos profissionais de MSF.

Os ataques provocaram o deslocamento em massa da população. Desde sexta-feira à noite, a maioria dos habitantes que restavam na cidade de Haradh abandonaram suas casas, rumo ao sul, ao distrito de Abs e à província de Hudeidah, em carros e caminhões lotados com pessoas e seus bens.

O hospital público de Haradh, que atende mais de 150 mil pessoas, foi deixado quase vazio após a fuga da maioria de seus profissionais e pacientes na manhã de sábado, 25 de abril, temendo que o hospital fosse atingido. O hospital público de Haradh foi o único dos quatro hospitais da cidade a continuar aberto.

“Os ataques na cidade de Haradh forçaram a maioria da população a fugir, e aqueles que ficaram para trás estão sem acesso a cuidados de saúde”, disse Teresa Sancristoval, coordenadora do programa de MSF no Iêmen. “Nós pedimos a todas as partes envolvidas que poupem os civis do conflito e que respeitem a neutralidade dos hospitais e das equipes médicas.”

MSF já havia tratado 34 feridos após um ataque aéreo que atingiu um acampamento de deslocados internos em Al-Mazraq, próximo de Haradh, em 30 de março.

No total, MSF já tratou diretamente mais de 1.200 pessoas feridas pela violência no Iêmen desde 19 de março em seus projetos nas províncias de Aden, Ad-Dhale, Amran e Hajjah. Desde o início do conflito, MSF também doou suprimentos médicos aos hospitais das províncias de Sanaa, Aden, Saadah e Lahj.

Leia mais sobre