Você está aqui

Iêmen: nove feridos em ataque contra clínica de MSF

03/12/2015
Ofensiva aérea foi perpetrada pela coalizão liderada pela Arábia Saudita na cidade de Taiz

Foto: MSF

Um ataque aéreo perpetrado pela coalizão liderada pela Arábia Saudita atingiu uma clínica no sul do Iêmen mantida pela organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF), ferindo nove pessoas, incluindo dois profissionais de MSF.  

De acordo com fontes locais, às 11h (horário local) do dia 2 de dezembro, três ataques aéreos atingiram um parque no distrito de Al Houban, na cidade de Taiz, a dois quilômetros da clínica de MSF. A equipe da organização evacuou a instalação imediatamente e informou à coalizão liderada pela Arábia Saudita que seus aviões a jato estavam realizando ataques nas proximidades. E então, a própria clínica foi atacada. Os feridos, dois deles com ferimentos graves, foram transferidos aos hospitais Al Qaidah e Al Resalah. MSF apoia as duas instalações no tratamento de pacientes feridos de guerra.

“Eu estava no hospital materno-infantil de MSF em Taiz, a apenas um quilômetro da clínica Al Houban, quando ouvimos os ataques aéreos”, afirma Nora Echaibi, líder da equipe médica de MSF em Taiz. “Todos estavam apavorados. Nós evacuamos as equipes o mais rápido possível.”

Atualmente, a equipe de MSF em Taiz está apoiando o pessoal médico iemenita no oferecimento de tratamento emergencial às pessoas feridas durante os ataques aéreos. 

Na clínica de MSF que sofreu o atentado em Al Houban, os profissionais ofereciam cuidados médicos emergenciais aos deslocados que deixaram suas casas para escapar do recente conflito. A coalizão liderada pela Arábia Saudita foi informada sobre a localização precisa e as atividades conduzidas por MSF em Al Houban.

“As coordenadas geográficas das estruturas de saúde eram compartilhadas regularmente com a coalizão liderada pela Arábia Saudita, mais recentemente no dia 29 de novembro, quando os informamos sobre essa atividade específica em Al Houban”, diz Jerome Alin, coordenador-geral de MSF no Iêmen. “Não havia como a coalizão liderada pela Arábia Saudita não estar ciente da presença de atividades de MSF neste local.”

MSF tem fornecido medicamentos emergenciais, suprimentos cirúrgicos e apoio prático a esses hospitais ainda em funcionamento em Taiz desde maio de 2015. Uma equipe de MSF oferece cuidados médicos urgentes na clínica da organização em Al Houban há dois meses. Nos últimos dois dias, os profissionais trataram 480 pacientes em Al Houban.

“O bombardeio contra civis e hospitais é uma violação do Direito Internacional Humanitário”, diz Jerome Alin. “Os civis que buscam cuidados de saúde e instalações médicas devem ser respeitados”, acrescentou. “Um hospital apoiado por MSF também foi atingido por ataques aéreos no mês passado no distrito de Haidan, na província de Saada, e foi completamente destruído.”

Equipes de MSF atuam em oito províncias iemenitas (Sanaa, Saada, Aden, Taiz, Amran, Al Dhale, Ibb e Hajja). Desde a eclosão da atual crise em março de 2015, os profissionais da organização trataram mais de 16 mil pacientes feridos de guerra. Com o sistema de saúde funacionando precariamente, MSF também está prestando serviços de saúde não emergenciais. MSF oferece serviços de saúde imparciais e gratuitos às pessoas em necessidades em mais de 60 países ao redor do mundo.

Leia mais sobre