Você está aqui

Iêmen: MSF suspende admissões a hospital em Aden após paciente ser sequestrado e morto

04/04/2019
Homem foi levado do hospital Al Sadaqah, na capital iemenita, por grupo armado e encontrado morto horas depois
Iêmen: MSF suspende admissões a hospital em Aden após paciente ser sequestrado e morto

Fotos: Agnes Varraine-Leca/MSF

Na manhã da última terça, 2 de abril de 2019, um grupo de homens armados ameaçou guardas e a equipe médica no hospital de emergência de MSF em Aden antes de entrar no prédio e sequestrar um paciente que havia sido admitido no dia anterior e que deveria ser submetido a uma cirurgia. Mais tarde, no mesmo dia, o paciente foi encontrado morto em uma rua no distrito de Al Mansoura.  

Este episódio acontece após uma série de ameaças e incidentes de segurança, envolvendo pacientes e funcionários, ocorridos desde o início do ano no hospital de MSF em Aden. Isso acontece em um momento em que o hospital está particularmente movimentado como resultado da escalada da violência em Aden.

"Após este incidente, não temos escolha senão suspender a admissão de pacientes até segunda ordem", diz Caroline Seguin, gestora do programa de MSF para o Iêmen. “Nas últimas semanas, o hospital tem funcionado a plena capacidade, particularmente a sala de emergência e a unidade de terapia intensiva, após uma escalada de violência na cidade.”

"Esta suspensão chega em um momento crítico para pacientes e suas famílias de Aden, bem como para pacientes das províncias de Hodeidah e Taiz, de onde recebemos diariamente feridos de guerra que precisam de cuidados cirúrgicos urgentes", diz Seguin. "Estamos extremamente preocupados com a deterioração da situação de segurança dentro de Aden e suas conseqüências para nossas atividades médicas, já que incidentes como esses colocam em risco a vida de pacientes e funcionários."  

Equipes de MSF trabalham no hospital Al Sadaqah, em Aden, desde 2012. Desde então, eles realizaram mais de 3 mil consultas de emergência para pacientes vindos de várias regiões afetadas pelos combates, incluindo as províncias de Abyan, Taiz e Hodeidah.

Durante a batalha por Aden em 2015, o hospital de MSF era uma das poucas instalações cirúrgicas que ainda funcionavam dentro da cidade. Entre março e agosto de 2015, as equipes de MSF trataram mais de 2.800 feridos de guerra no hospital. Durante esse período, as equipes de MSF também mantiveram um posto de emergência avançada e clínicas cirúrgicas móveis na cidade, a fim de estabilizar os feridos de guerra e melhorar suas chances de sobrevivência.

Em 2018, MSF aumentou a capacidade do hospital Al Sadaqah para 104 leitos para responder a um influxo de feridos de guerra após a ofensiva de Hodeidah. Durante 2018, as equipes de MSF realizaram mais de 6 mil consultas de emergência e 5.400 cirurgias no hospital de Al Sadaqah, sendo 90% delas relacionadas à violência.


No Iêmen, as equipes de MSF trabalham em 12 hospitais e dão suporte a mais de 20 instalações de saúde localizadas em 11 províncias: Abyan, Aden, Amran, Hajjah, Hodeidah, Ibb, Lahj, Saada, Sanaa, Shabwah e Taiz.
 

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar