Você está aqui

Iêmen: hospital de MSF em Aden sobrecarregado por chegada em massa de feridos

11/08/2019
Quase 120 pessoas foram tratadas em menos de 24 horas em decorrência de combates intensos
Iêmen: hospital de MSF em Aden sobrecarregado por chegada em massa de feridos

Foto: Agnes Varraine-Leca/MSF

Desde a noite de quinta-feira, Aden está em estado de guerra, enquanto intensos combates contra vários grupos armados continuam por toda a cidade. Em menos de 24 horas, Médicos Sem Fronteiras (MSF) tratou 119 pessoas em seu hospital, das quais 62 necessitaram de internação de emergência. Os feridos não param de chegar. O aeroporto está fechado e a cidade parou.

"A maioria dos feridos são civis presos pelos combates e provavelmente vítimas de morteiros ou balas perdidas. Ontem nós tratamos uma mulher que teve um ferimento à bala; ela estava grávida de oito meses. Pelo menos cinco pessoas morreram na chegada ao hospital, uma delas uma criança", diz Caroline Seguin, coordenadora-geral de MSF no Iêmen. "A cidade é um campo de batalha. Nós podemos ouvir o som de armamento pesado e os tanques estão se movendo pelas ruas ", continua ela.

"Nosso hospital está no limite. Nossas equipes estão trabalhando contra o relógio para cuidar das muitas pessoas feridas pelos combates e não conseguimos ninguém que possa assumir os cuidados e substituir o turno. A cidade está paralisada e alguns profissionais não conseguem chegar ao hospital porque os combates são realmente pesados. As estradas de acesso à cidade estão cortadas. Dado tudo isso, estamos preocupados de não conseguir levar suprimentos ao hospital”, continua Seguin.

O aeroporto está fechado e o porto de Aden também está ameaçado devido aos combates. Sendo o único porto totalmente funcional no país, é por onde os produtos importados e alguma ajuda humanitária são trazidos, incluindo aquilo que é usado por MSF em seus projetos.

"Se a situação continuar se deteriorando e Aden continuar paralisada, há também o risco de os preços serem impactados e, consequentemente, o acesso das pessoas aos itens essenciais básicos, em um momento em que já há inflação", explica a coordenadora-geral.

No dia 1º de agosto, as equipes de MSF já tiveram que enfrentar um influxo em massa de feridos após ataques em dois distritos da cidade. Dezesseis pessoas foram internadas no hospital.

Inaugurado em Aden em 2012, o hospital de MSF fica no centro da cidade. "Apesar dos combates, o hospital ainda está aberto e totalmente operacional. As equipes continuam cuidando das dezenas de pessoas feridas nesta nova onda de violência que eclodiu em Aden", diz Caroline Seguin.

Leia mais sobre

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar