Você está aqui

Idlib, Síria: MSF mantém distribuição de itens de primeira necessidade e adapta sua resposta à ameaça da COVID-19

31/03/2020
Superlotação, falta de acesso a água e saneamento e infecções respiratórias são comuns no campo de Deir Hassan
Idlib, Síria: MSF mantém distribuição de itens de primeira necessidade e adapta sua resposta à ameaça da COVID-19

Foto: MSF

O campo de Deir Hassan, na província de Idlib, na Síria, é apenas um dos diversos acampamentos onde vivem centenas de milhares de famílias deslocadas. Elas fugiram da ofensiva militar conduzida pelas forças do governo sírio e seus aliados russos entre dezembro e início de março. Este campo abriga mais de 164 mil pessoas em assentamentos espalhados pelas colinas e, como acontece na maior parte do noroeste da Síria, carece de serviços básicos e agora está ameaçado pela propagação potencial da COVID-19.

No dia 16 de março, depois de avaliar as necessidades no campo de Deir Hassan, Médicos Sem Fronteiras (MSF) distribuiu itens de primeira necessidade para 180 famílias nos assentamentos de Latamneh e Al Habeet, que incluíam tendas, tapetes, lonas plásticas, cobertores, utensílios de cozinha e kits de higiene.  

“Nós presenciamos pessoas vivendo ao relento. Vimos também duas ou três famílias dividindo uma mesma tenda e que não as protegia do frio ou da chuva. Havia poucas tendas para acomodar os recém-chegados”, explicou Ahmed, líder deste projeto de MSF.

No dia seguinte, a equipe de MSF distribuiu itens de primeira necessidade para 115 famílias em Abo Obeidah, outro assentamento em Deir Hassan.

"Graças a MSF, temos tendas", diz Manaf Shamma, uma mulher e mãe deslocada interna, que vive em Latamneh. "Este campo foi montado há oito meses, mas precisa de latrinas, saneamento e estradas adequadas."

No campo de Deir Hassan, as instalações de água e saneamento são insuficientes para um número tão alto de pessoas, o que aumenta o risco de proliferação de doenças transmitidas pela água. Até agora, infecções das vias respiratórias superiores têm sido a principal condição observada pelas equipes das clínicas móveis de MSF. Mas, agora, a pandemia de COVID-19 se tornou um enorme desafio em todo o mundo e também na Síria.

O governo sírio registrou o primeiro caso de COVID-19 na Síria no dia 23 de março. Embora nenhum caso tenha sido declarado na província de Idlib, a última fortaleza rebelde, a doença pode se espalhar rapidamente pela região, especialmente em campos de deslocados internos, onde as pessoas vivem em grandes assentamentos, em condições de superlotação e acesso limitado a saneamento.

MSF suspendeu as atividades em clínicas móveis no campo de Deir Hassan para permitir que sua equipe participe do treinamento sobre prevenção e controle de infecções e para limitar qualquer disseminação do vírus. Nos próximos dias, em 10 assentamentos no campo de Deir Hassan, os agentes de saúde comunitários de MSF realizarão sessões de educação em saúde sobre a COVID-19 com famílias deslocadas e distribuirão folhetos informativos e kits de higiene específicos.

Como parte dos esforços de controle de infecções, equipes de MSF estão prestando assistência na triagem de pacientes em dois centros de saúde que a organização apoia em Deir Hassan e Tal karama.

Além disso, MSF está organizando a distribuição de itens de primeira necessidade na região de Afrin, mais ao norte do país. Muitas famílias deslocadas buscaram refúgio nessa área, uma vez que é controlada pelas forças turcas e não foi alvo de violência. Algumas não conseguiram abrigo adequado e se instalaram em casas desocupadas, fábricas ou edifícios públicos abandonados. Em resposta ao influxo de deslocamento, um campo de deslocados internos na área de Bul Bul está sendo montado, com capacidade para 400 famílias. MSF fornecerá tendas, cobertores, lonas plásticas, utensílios de cozinha e kits de higiene. As tendas serão montadas em parceria com a Al Ameen, uma ONG local.

MSF e Al Ameen também começaram a realizar atividades em clínicas móveis na semana passada, na área de Bul Bul e na zona rural ocidental de Afrin. Mas logo foram suspensas para que as equipes pudessem participar do treinamento sobre medidas de controle de infecção e higiene.

Considerando as enormes necessidades dos deslocados internos na província de Idlib, a resposta de MSF permanece limitada. Mas a organização deve continuar ampliando suas atividades. A capacidade de resposta depende da disponibilidade de itens essenciais de assistência, suprimentos médicos e equipamentos de proteção individual no noroeste da Síria e também da possibilidade de envio de profissionais internacionais de MSF para apoiar colegas sírios.

MSF não tem presença permanente na Turquia. Para poder ampliar a resposta à COVID-19, MSF pede a todas as autoridades turcas relevantes que facilitem o trânsito de suprimentos essenciais e equipes internacionais para o noroeste da Síria.

Leia mais sobre

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar