Você está aqui

Haiti: MSF amplia atividades de combate a cólera

02/11/2010
Novas áreas ao norte do país estão sendo avaliadas e a construção de centros de tratamento ampliará a capacidade de resposta

Médicos Sem Fronteiras (MSF) continua atendendo vítimas de cólera no Haiti. Até o dia 31 de outubro, Médicos Sem Fronteiras tratou cerca de 3,6 mil pessoas que se apresentaram nas unidades médicas com casos graves de diarreia, sintoma que pode indicar infecção de cólera.

Equipes de MSF estão atualmente apoiando dois hospitais mantidos pelo Ministério da Saúde do Haiti, na região de Artibonite, onde o surto teve origem. No Hospital Saint Nicholas, na cidade de Saint Marc, 170 pessoas em média são admitidas por dia. Mais ao sul, em Petite Riviere, aproximadamente 150 pessoas são admitidas diariamente no hospital local.

Nas cinco unidades que MSF mantém na capital, Porto Príncipe, as equipes estão preparadas para tratar pacientes com sintomas de cólera. Mais de 300 leitos já estão montadas em Centros de Tratamento de Cólera (CTCs). Outros 800 estarão disponíveis em breve, caso o surto se espalhe. Algumas dezenas de pessoas sofrendo de diarreia severa foram tratadas nos últimos dias nas estruturas de MSF localizadas na cidade. Em Leogane, onde MSF já coordena um hospital, um CTC de 20 camas também foi montado. 

"Para um tratamento efetivo de cólera, é fundamental ter Centros de Tratamento de Cólera, onde pacientes possam ser isolados," disse Jean Pletinckx, coordenador de emergências de MSF no Haiti. "Cólera é uma doença altamente tratável e passível de prevenção, especialmente quando os pacientes são atendidos em um ambiente controlado como o que há em um CTC. A presença de CTCs em áreas afetadas por cólera pode aliviar a pressão sobre os hospitais locais, reduzindo muito o risco de infecção entre os pacientes que já estavam internados e dentro da própria comunidade."

As atividades de MSF estão se expandindo para o norte do país. Um CTC de 30 camas está sendo preparado por MSF em Gonaives. Em outro lugar na região norte, avaliações estão sendo conduzidas em Port de Paix, Pont Sonde, Dessaline, Villard, La Chapelle e Lester, para determinar se uma intervenção será necessária. Outras avaliações estão sendo conduzidas ao sul e a leste de Saint Marc, em Archaie, Cabaret e Verrettes. Em Montrouis, MSF providenciou materiais de tratamento, incluindo camas para cólera, para o centro de saúde local. Outras missões exploratórias estão planejadas para Gros Morne, Bassin Bleu e Saint Michel de L’attalaye.

Em todas as áreas em que MSF está trabalhando, as equipes estão realizando contatos com a comunidade para aconselhar moradores sobre como prevenir a infecção de cólera e como ela pode ser facilmente tratada e curada.

"Enquanto cólera e sintomas de cólera podem surgir muito rápido e ameaçar a vida, mortes desnecessárias podem ser facilmente evitadas caso seja garantido o acesso a unidades devidamente equipadas," disse o Dr David Olson, supervisor médico de MSF e especialista de cólera no Haiti.

MSF tem atualmente cerca de 60 profissionais estrangeiros e mais de 500 profissionais locais envolvidos com suas intervenções de tratamento de cólera. Dois aviões de carga com cerca de 150 toneladas de material e suprimentos médicos para cólera chegaram ao Haiti, o último deles no dia 30 de outubro.

MSF tem uma ampla experiência de intervenção em surtos de cólera em vários locais ao redor do mundo e tratou mais de 329 mil pessoas entre 2006 e 2009. No ano passado, MSF atuou em surtos de cólera em Camarões, Chade, Níger, Nigéria, Papua Nova Guiné e Zâmbia.