Você está aqui

Haiti: mais de 200 pacientes com lesões relacionadas à violência foram admitidos no hospital de trauma em Porto Príncipe

10/03/2020
MSF aumentou o número de leitos no hospital de trauma de Tabarre para atender ao grande fluxo de pessoas
Haiti: mais de 200 pacientes com lesões relacionadas à violência foram admitidos no hospital de trauma em Porto Príncipe

Foto: Leonora Baumann

Nos três meses desde sua abertura, o hospital de trauma de Tabarre, administrado por Médicos Sem Fronteiras (MSF) em Porto Príncipe, admitiu mais de 360 pacientes que precisavam de cuidados vitais, incluindo mais de 220 pacientes com ferimentos a bala e outros ferimentos relacionados à violência.

“Desde a abertura do hospital em Tabarre, vimos diariamente o impacto devastador que a violência – desde brigas entre gangues até violência associada a manifestações políticas – tem sobre a vida das pessoas em Porto Príncipe e em outras localidades”, disse Hassan Issa, coordenador-geral de MSF no Haiti. "O número de ferimentos graves causados pela violência que tratamos reflete a terrível situação que prevalece hoje nas áreas urbanas do Haiti, onde ocorrem regularmente tiroteios e sequestros".

Para ajudar mais pacientes, logo após a abertura, MSF dobrou a capacidade do hospital, expandindo para 50 leitos. Desde então, o hospital permaneceu consistentemente ocupado em capacidade quase total, com picos esporádicos nas internações após grandes incidentes de violência ou acidentes. O pico mais recente de atividade ocorreu na semana passada, no período do carnaval, quando o hospital teve o maior número de internações em uma única semana, com 37 novos pacientes hospitalizados. Durante o mesmo período, organizamos saídas escoltadas para nossa equipe de e para o trabalho, a fim de garantir o serviço 24 horas, apesar das barricadas nas estradas armadas e do toque de recolher em toda a cidade após um tiroteio mortal entre o exército e manifestantes da força policial. 

Nos últimos três meses, a equipe do hospital de trauma tratou pacientes de muitos bairros de Porto Príncipe e arredores, sendo a maioria vinda de Porto Príncipe (20%), Croix-des-Bouquets (13%), Delmas (13%), Cité Soleil (11%) e Carrefour (11%). As causas mais comuns de lesões foram tiros (50% dos pacientes admitidos), seguidos por acidentes de trânsito (31%) e outras lesões relacionadas à violência, incluindo ferimentos potencialmente fatais (12%).

Nossa equipe no hospital de trauma de Tabarre trabalha diariamente para ajudar a atender as necessidades da população. Além de realizar cirurgias que salvam vidas e fornecer atendimento de emergência, começamos a oferecer monitoramento de acompanhamento e fisioterapia aos pacientes que receberam alta em janeiro.

Desde o verão de 2018, o Haiti está passando por uma crise política e econômica, que sobrecarregou o sistema de saúde do país. Como resultado, MSF reforçou nossa assistência ao Ministério da Saúde Pública e População, fornecendo apoio ao principal hospital público de Porto Príncipe; um hospital em Port Salut, no departamento Sul; e 10 centros de saúde em todo o país. Além disso, em Porto Príncipe, continuamos administrando o hospital de queimados Drouillard em Cité Soleil, o Centro de Emergência de MSF em Martissant e Pran Men e uma clínica para sobreviventes de violência sexual em Delmas. Em fevereiro, abrimos nosso mais novo projeto no Haiti, focado na saúde sexual de adolescentes, incluindo violência sexual, em Gonaives, no departamento de Artibonite.

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar