Você está aqui

Grande-Synthe, França: cinismo além do limite

10/03/2016
Acampamento para migrantes recém-inaugurado sob ameaça de fechamento

Foto: Charles Habib

O campo de Grande-Synthe tem capacidade para abrigar 2.500 pessoas. O espaço acaba de ser inaugurado, mas já está sob ameaça de fechamento. No entanto, deveria poder amenizar, ainda que sutilmente, a angústia diária de migrantes gerada por condições de vida precárias.

Aparentemente, não. Embora os migrantes precisem de abrigo decente urgentemente, as autoridades francesas enviaram uma carta de aviso formal ao prefeito de Grande-Synthe protestando contra a acelerada abertura do acampamento, que alegam ser “prejudicial à segurança de centenas de pessoas”. Em vez de tomar medidas concretas, muitas das quais são sua responsabilidade, o governo escolheu desempenhar o papel de auditor da obra. Usando como pretexto padrões que não foram respeitados, o governo ameaça o prefeito de Grande-Synthe, enfatizando os riscos pessoais legais que ele enfrenta. Esse oficial eleito merece todo o nosso suporte.

A situação é irônica. Na medida em que o Estado não cumpriu com suas obrigações em novembro, principalmente no que diz respeito às áreas de saúde pública e abrigo de emergência, agora busca punir aqueles que estão trabalhando em parceria para preencher as lacunas deixadas pelo governo e, finalmente, oferecer aos migrantes condições de vida significativamente melhoradas – um acampamento aberto composto de abrigos estruturados que oferecem privacidade e atendem aos requisitos em termos de condições de higiene e saúde.

Obviamente, muito ainda precisa ser feito. Nunca foi dito que esse novo acampamento em Grande-Synthe resolveria todos os problemas, ou atenderia às exigências legais mais rígidas. Em vez disso, dada a urgência da situação, a prioridade foi oferecer abrigo e garantir condições mínimas para uma vida decente. Agora, cabe a nós – ONGs, agências de ajuda e voluntários – assumirmos a responsabilidade por esse acampamento. Cabe a nós e aos próprios migrantes, com a ajuda dos habitantes da região, transformar o espaço em um local que possa ajudar os migrantes a esquecerem, ainda que brevemente, o que sofreram por tanto tempo.

De fato, antes que qualquer um demande que os padrões estejam adequados, é preciso reconhecer que a própria política a que migrantes estão submetidos na França é inadequada e precisa ser rejeitada. Como reflexo das políticas migratórias observadas na Europa, a cada movimentação a política francesa tem seguido uma trajetória rumo a um fim desastroso. Em vez disso, as autoridades deveriam estar trabalhando para melhorar imediatamente a recepção oferecida às pessoas que fogem de guerras, repressão e miséria.

O governo busca dissuadir os migrantes e faz uso de uma abordagem de aplicação da lei. Agora, também adotou uma abordagem administrativa e tecnocrática, opondo os espaços que foram destinados aos migrantes e um oficial eleito que está tentando oferecer-lhes uma recepção digna. O campo de Grande-Synthe está sob ameaça de fechamento. O local pode não atender aos padrões, mas uma coisa é certa: na França, o cinismo do governo excede quaisquer limites.

Leia mais sobre